"Esta sombra não poderá ser removida até que brilhe a luz da verdade sobre a  destrutiva violência que forjou a nossa Nação, traumatizou as pessoas de cor e desafiou o nosso compromisso com a superioridade da lei e da justiça igualitária", escreveu no site do monumento Bryan Stevenson, diretor do grupo Equal Justice Initiative (EJI), por trás do projeto.

EJI, um órgão sem fins lucrativos, documentou o linchamento de mais de 4.400 negros nos Estados Unidos entre 1877 e 1950.

Enquanto a escravidão continuou durante séculos, "nada sustentou tanto a desigualdade racial como o linchamento. O linchamento foi o terrorismo racial", assinala o site.

A ocupar um espaço de 2,4 hectares, o memorial tem 800 monumentos suspensos de aço, um para cada condado onde ocorreu linchamento, e em cada bloco estão gravados os nomes das vítimas.

Fonte: AFP

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.