Comecemos pela piscina. O ribeiro desce a serra das Talhadas numa encosta junto à aldeia.

Foz do Cobrão
créditos: andarilho.pt

Passa mesmo ao lado do casario e forma um espelho de água com um pequeno areal antes de se projetar na Cascata Poço de Mel e depois deixa-se escapar por debaixo de uma ponte.

Foz do Cobrão
créditos: andarilho.pt

No meio do espelho de água está um enorme rochedo que aumenta o encanto do lugar e acrescenta uma perspetiva rústica e natural.
O ribeiro foi sujeito a obras, a zona está limpa, é “natureza pura e dura” na expressão de Ana Dias do Turismo de Vila Velha de Ródão.

Foz do Cobrão
créditos: andarilho.pt

O espelho de água é muito procurado e alguns utilizadores são turistas que param o carro após a ponte e depois dão um mergulho no Cobrão, o nome do ribeiro e que está na origem da designação da aldeia.

Conforme adianta Manuel Barateiro, dono de um café, o ribeiro vai pouco depois desaguar no Rio Ocreza e no seu percurso deixa um rasto de vegetação verde que embeleza a aldeia.

Outro lugar de visita obrigatória é as Portas de Almourão, um geossítio do Parque Naturtejo.
Podemos ver um longo vale escarpado em que a Serra das Talhadas comprime o Ocreza.

Foz do Cobrão
créditos: andarilho.pt

Este vale está a ser formado pelo rio há dois milhões de anos. A Serra colocou fragas muito altas a travar o curso de água. No entanto, fruto da erosão, o rio abriu uma passagem que foi ficando mais larga e mais profunda.

Podem-se ver as Portas a partir de um miradouro que foi construído numa encosta da serra. Fica de frente para o rio embora a uma distância considerável.

Foz do Cobrão
créditos: andarilho.pt

Quem queira molhar os pés ou ver mais próximo há um trilho devidamente sinalizado que leva os visitantes até às profundezas do vale. No percurso pode ter a sorte de ver grifos e abutres.
Entre as rochas, próximo das margens também poderá encontrar fósseis com milhões de anos. Com mais sorte ainda poderá confirmar a veracidade de muitas lendas que, como é habitual, envolvem muitas mouras.

Foz do Cobrão
créditos: andarilho.pt

A vista revela também terrenos de difícil aproveitamento agrícola. Uma das técnicas para contornar esta dificuldade foi a construção de socalcos para plantar oliveiras.

Foz do Cobrão
créditos: andarilho.pt

Outra vista da serra da Talhadas e do rio Ocreza é do alto de Foz do Cobrão, um pouco antes do miradouro. Vemos o Ocreza a espraiar-se devido a um açude e do outro lado do rio está a aldeia de Sobral Fernando. Parece uma irmã gémea de Foz do Cobrão porque também se alonga pela encosta da serra.

Foz do Cobrão
Conheira em Sobral Fernando créditos: andarilho.pt

Tem muitas pedras espalhadas próximo do rio Ocreza e fazem parte da Conheira de Sobral Fernando. São resultado de uma longa atividade de extração de ouro desde os romanos com recurso a água.

Foz do Cobrão
créditos: andarilho.pt

A Serra das Talhadas tem 27 quilómetros de extensão e no caminho para Sobral Fernando consegue-se ver no cume cristas quartziticas. Estas rochas constituíram-se há vários milhões de anos a partir de areias finas que estavam no fundo de um oceano.

Ver ainda Gafoz – Grupo dos Amigos de Foz do Cobrão e Associação para o Desenvolvimento do Sobral Fernando.
As portas e a piscina de Foz do Cobrão faz parte do programa da Antena1, Vou Ali e Já Venho, e a emissão deste episódio pode ouvir aqui.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.