Catarina Gonçalves é formada em Engenharia Civil, área na qual trabalhou durante 17 anos, mas o sonho de ter um restaurante, que alimentava desde criança, falou mais alto e, há cerca de dois anos, decidiu mudar de vida. Radicalmente. Em Junho do ano passado, abriu o “Ao 26 – Vegan Food Project”, um conceito 100% vegetal como o próprio nome indica, no centro de Lisboa. A preocupação com o futuro dos seus três filhos - o mais novo com apenas três meses - é uma das razões para que neste espaço não entre peixe, carne ou derivados.

Mais do que apresentar uma ementa com opções veganas, o objetivo era criar um local aprazível, confortável, simpático e com refeições saborosas. “Procuramos dar opções às pessoas e, sobretudo, conhecimento, de forma que façam escolhas conscientes”, reflete Catarina, enquanto segura nos braços a sua bebé Amélia.

O que tem verificado, neste período ainda curto de existência, é que os clientes têm interesses muito variados. Há quem frequente o “Ao 26” pelas opções alimentares, há quem se tenha deixado deslumbrar pelos sabores e há os que procuram, “por razões éticas, fundamentos sustentáveis que possam deixar como herança às próximas gerações”.

Catarina está a fazer a sua parte. Trocou a Engenharia Civil e a estabilidade de uma carreira sólida por um sonho, do qual faziam parte uma cozinha e muitas ideias originais. Em 2015, abriu o Nomalism, de onde saiu pouco depois e, no ano seguinte, juntou-se ao marido e a uma amiga para abrir este espaço com o interior marcado por arcadas de pedra, localizado no número 26 da rua Vítor Cordon.

Ao 26 – Vegan Food Project
O ambiente do restaurante.créditos: Helena Simão/Starting Today

Quanto às preocupações alimentares, sempre fizeram parte do seu quotidiano desde a infância passada em Alcobaça. “A minha mãe era macrobiótica, pelo que não comíamos carne e só de vez em quando havia peixe à mesa. Por isso, sempre houve a preocupação de ingerir alimentos bons e saudáveis. Quando há 17 anos, a minha irmã se tornou vegetariana, isso despertou-me ainda mais para aprofundar os meus conhecimentos sobre a composição e os benefícios dos alimentos”, recorda a responsável. O nascimento da filha mais velha, há 11 anos, foi o ponto de viragem.

Todas estas experiências culminaram neste projeto de comida vegetal com receitas do mundo, em parceria com o chef Bruno Ferraz, que deixou, entretanto, de estar ligado ao restaurante. Do menu, fazem parte as Bifanas de Seitan, muito procuradas, garante Catarina, e duas receitas de hambúrguer vegetariano, em pão do caco. Há também saladas de Legumes Grelhados, de Quinoa Cítrica e de Couscous Exótico. Ao almoço, há sempre uma sopa, como a de Batata Doce e Abóbora e a de Couve Flor e Courgette, e duas opções de pratos do dia.

Segui a sugestão do chef e experimentei a sopa de Beterraba e Courgette, com uma cor apelativa e uma consistência aveludada. De seguida, rendi-me à Salada de Vegetais Assados com molho de amendoim e fruta, uma deliciosa combinação de legumes, vegetais, ananás, maçã, nozes e caju. Os sabores que animam o palato deixam-se envolver pelos aromas e pelo cuidado com a apresentação do prato. A acompanhar, a infusão “L’Orangerie” com flor de laranjeira, limão, lúcia-lima e manjericão, uma das muitas disponíveis no menu.

Ao 26 – Vegan Food Project
Sala de vegetais assados com molho de amendoim e fruta.créditos: Helena Simão/Starting Today

No final, não podia faltar a sobremesa, até porque é essa a especialidade de Catarina. Ela faz Leite Creme, Mousse de Chocolate, Delícia de Framboesa e de “Ferrero Rocher”, entre outras, sem utilizar ovos ou leite. Um verdadeiro paraíso para quem é vegan e não só, já que a maioria destas sobremesas não leva açúcar, pelo que “podemos comer sem culpa”, sublinha a responsável, que também faz bolos por encomenda.

Terminada a refeição, e porque o ambiente neste “Ao 26” é muito familiar, fica a vontade de repetir a experiência. A boa notícia é que nos próximos dias será lançada uma nova carta com mais opções, como o Risotto de Espargos e Cogumelos e a Francesinha. Receitas que prometem animar ainda mais a casa e encher o olho e o estômago, sem carne, leite, nem derivados.

O restaurante está aberto às segundas, entre as 12h30 e as 15h30, e de terça a sábado, entre as 12h30 e as 23h.