Os Açores são um dos locais mais bonitos do mundo, com uma paisagem arrebatadora, comida extraordinária, apenas a 2 horas de avião, com temperaturas amenas (é possível viver as 4 estações do ano no mesmo dia), e múltiplos pontos de interesse para pequenos e graúdos.

O objetivo deste guia é servir de inspiração a futuras visitas a São Miguel e afirmar bem alto que, pelo menos uma vez na vida, nem que sejam só 3 dias, têm (mesmo) de visitar os Açores.

Dia 1: Chegada a Ponta Delgada

Partimos de Lisboa numa sexta-feira à tarde. Após 2 horas de voo, aterrámos no paraíso, apanhámos a viatura de aluguer no aeroporto, rumámos a Ponta Delgada e passados apenas 10 minutos estávamos a fazer check-in no Grand Hotel Açores Atlântico.

Optámos por ficar a primeira noite em Ponta Delgada, pela proximidade ao aeroporto e porque é um ótimo ponto de saída para o segundo dia que tínhamos planeado.

Aproveitámos para passear à beira mar na marginal de Ponta Delgada, jantar com o oceano como paisagem, e aproveitar as excelentes condições climatéricas para fazer uma primeira introdução da cidade aos mais pequenos.

Dia 2: Lagoa das Sete Cidades e Lagoa do Fogo

Alvorada, família de viajantes acorda sempre cedo!

Excelente pequeno-almoço no Grand Hotel Açores Atlântico, um último olhar para o mapa da ilha e aí vamos nós.

Por entre os inúmeros pontos de interesse em que parámos fugazmente, e do espanto geral dos miúdos pela quantidade de verde e de… vacas que viram, chegámos à primeira grande maravilha: a Lagoa das Sete Cidades.

Lagoa das Sete Cidades
Lagoa das Sete Cidades créditos: Viagensa4

A Lagoa das Sete Cidades está situada numa das crateras vulcânicas que formaram a ilha de São Miguel, embora seja apenas uma Lagoa dividida por uma ponte, por ter duas tonalidades diferentes foram-lhe atribuídos dois nomes (Lagoa Azul e Lagoa Verde).

A Lagoa das Sete Cidades é o maior lago de água doce dos Açores e local de beleza natural único no mundo - aproveite os vários miradouros antes de descer à freguesia das Sete Cidades.

A freguesia das Sete Cidades é uma pequena localidade com cerca de 800 habitantes, fica no interior do vulcão das Sete Cidades, tem alguns cafés, restaurantes e como atração principal - para além do cenário - a Igreja de São Nicolau, de 1849.

Seguimos caminho rumo à povoação de Mosteiros, conhecida pelas suas piscinas naturais, fica situada na ponta Ocidental de São Miguel e na base do complexo vulcânico das Sete Cidades.

Mosteiros
Mosteiros créditos: Viagensa4

Continuámos viagem e passámos por diversas povoações e miradouros: Bretanha, Remédios, Santa Bárbara, Santo António, Capelas e paragem na Praia do Areal de Santa Bárbara.

Perto da localidade da Ribeira Grande, o Areal de Santa Bárbara é uma das mais extensas praias da região, com cerca de um quilómetro.

Se tiver a barriga a dar horas, como a nossa estava, almoce no Restaurante da Associação Agrícola de São Miguel, para muitos o melhor bife de São Miguel está ali, aconselhamos o "bife à associação", uma delícia! E os miúdos? Bife ou hambúrguer dos Açores com batata frita e arroz, ninguém os agarra.

Barriguinha cheia e saída em direcção à Lagoa do Fogo.

A Lagoa do Fogo é uma das maiores lagoas dos Açores e a segunda maior da ilha de São Miguel, classificada desde 1974 como reserva natural.

Esta lagoa é também a mais alta da Ilha de São Miguel, encontra-se no cimo de uma montanha cujo ponto mais alto se eleva a 949 metros. Localiza-se no topo do grande vulcão do Fogo, também conhecido como vulcão de Água de Pau.

Devido ao ponto alto em que se encontra, sofre muitas vezes de intenso nevoeiro o que impossibilita a sua observação, nós tivemos sorte.

Lagoa do Fogo
Lagoa do Fogo créditos: Viagensa4

Lagoa do Fogo: check. Saída em direção às Furnas, um dos pontos altos do dia, chegada ao Terra Nostra Garden Hotel, onde pernoitámos e aconselhamos vivamente que o façam.

No vale das Furnas podemos encontrar um pouco de tudo o que de melhor a ilha de São Miguel e os Açores têm para oferecer.

Furnas
Parque Terra Nostra créditos: Viagensa4

A juntar ao verde dos campos, temos o Parque Terra Nostra, uma forte actividade vulcânica que se faz sentir nas caldeiras, transportada para a gastronomia, com o famoso cozido das furnas.

Chegámos ao final de tarde, check-in efectuado e saltámos literalmente para dentro das piscinas de água férrea, uma maravilha da natureza.

Dia 3: Cozido nas Furnas e chás na Gorreana

Terceiro e último dia, e tanto por ver!

Começámos por explorar o fabuloso Parque Terra Nostra, facilmente nos perdemos ali por 2 ou 3 horas, uma das maiores coleções de camélias do mundo, jardim de flora endémica e nativa dos Açores, jardim de Vireyas, coleção de Fetos, canteiros diversos e aquelas árvores, recantos, piscinas, pontes e cheiros, um estimulante passeio para toda a família.

A atividade vulcânica é uma constante em toda a ilha de São Miguel, mas é nas Furnas que a mesma se manifesta com mais espetacularidade.

Furnas
Furnas créditos: Viagensa4

A cerca de 800 metros do Terra Nostra Garden Hotel temos as fumarolas e as nascentes de águas termais. As várias caldeiras libertam vapores e o característico cheiro a enxofre, cheiro este que invade toda a zona.

Ali tudo fumega, caldeiras, tampas de esgoto e passeios, a força da natureza fica bem patente quando visitamos este local, fabuloso!

Se tiver coragem, pode provar a água das várias nascentes de águas termais, algumas gaseificadas e sempre com o sabor marcante e característico da região. A mãe Rita provou!

Furnas
créditos: Viagensa4
Furnas
Casa ao contrário créditos: Viagensa4

Antes de rumar à Lagoa das Furnas, conheça a povoação, a casa ao contrário, os restaurantes, os jardins e o comércio com bolos lêvedos, queijos, milho, artesanato e doces tradicionais por todo o lado.

É nas margens da Lagoa das Furnas, que se confeciona o tão famoso prato: o cozido das Furnas.

Ao cenário maravilhoso, junta-se o espetáculo exuberante que a natureza proporciona, depois de ver as panelas enterradas junto às caldeiras, jamais vai conseguir sair da zona sem provar o famoso cozido. Pode encontrar o cozido das Furnas em quase todos (se não todos) os restaurantes locais.

Nas Furnas tudo fumega e tudo borbulha, uma aula de ciências que os miúdos jamais vão esquecer!

As Furnas deixam sempre saudade, é por isso obrigatória uma paragem no Miradouro do Pico do Ferro, para um último vislumbre desta paisagem única.

Chá Gorreana
Chá Gorreana créditos: Viagensa4

Próxima paragem: a rota do chá e, neste caso, a Gorreana, fazer prova de chás, passear pela plantação, pela fábrica e perceber um pouco mais da história dos chás de São Miguel.

No caminho que nos leva de volta a Ponta Delgada existe uma paragem obrigatória, os Ananases Arruda, aqui podemos entrar nas estufas que apresentam os vários estágios que esta iguaria passa até chegar às nossas mesas. Visita bem gira, gratuita e educativa.

Ananases Arruda
Ananases Arruda créditos: Viagensa4

E chegamos a Ponta Delgada - limite-se a passear pelo centro histórico, as Portas do Mar, Portas da Cidade, Igreja Paroquial de Nossa Senhora das Neves, piscinas naturais e os excelentes restaurantes.

Foram 3 dias em São Miguel com crianças, dos quais fica uma vontade imensa de voltar, intensos, cheios de amor, descoberta, aulas ao ar livre, gastronomia brilhante, povo simpático e beleza única. Os Açores são lindos e ótimos para famílias.

Açores
créditos: Viagensa4

O Viagensa4 visitou os Açores em parceria com a Azores Airlines, os Hotéis Bensaude e a Wayzor.

Acompanhe as nossas aventuras no Instagram Viagensa4

Artigo originalmente publicado no blogue Viagensa4

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.