A iniciativa “Mercado do Pêssego” é da responsabilidade da Câmara Municipal da Covilhã e pretende, simultaneamente, revitalizar o espaço do mercado e promover o pêssego, produto endógeno da região.

Para dinamizar o certame, a autarquia desafiou algumas lojas e restaurantes da cidade a participarem e a instalarem-se na antiga peixaria que, por estes dias, está transformada num espaço de restauração e lazer.

Catarina Ramos, proprietária da “Simply Sugar”, foi uma das que aceitou o desafio. Entre as delícias que preparou para o evento apresenta as gomas, a sangria ou o bolo de pêssego, que, começaram desde o primeiro momento a conquistar clientes.

“Esta a correr bem. As pessoas estão animadas e aderem”, diz, apontado para o recipiente da sangria (cinco litros), que ao fim de duas horas já vai quase no fim.

Catarina Ramos terá de fazer mais para o período da tarde.

Será também por essa altura que o gin de pêssego do “Cá se Bica” promete ter mais procura.

Kelly Costa, proprietário do espaço, inclui ainda na ementa o cheesecake de pêssego, a mousse de pêssego, a tarte Pêssego ou o cocktail de pêssego. Tudo para ajudar a dar mais sabor ao evento, que espera que venha a ter sucesso.

“Ainda é preciso trabalhar um pouco o espaço e a ideia, mas acho que pode ser uma coisa com ‘pernas para andar’”, apontou.

Não é o único que pensa assim. Isabel Ferreira, cliente assídua do mercado, também acha que a autarquia deve continuar a dinamizar este tipo de iniciativas.

“Esperemos que façam mais e que ajudem o mercado a ser como era”, disse à agência Lusa, enquanto comprava pêssegos na banca de Maria Lourenço.

Produtora agrícola e vendedora naquele espaço há mais de 50 anos, Maria Lourenço não se mostra desagradada com o evento, mas diz que é preciso mais.

O estacionamento é a principal reivindicação desta e de todos os vendedores do espaço.

“Ninguém quer vir às compras e ter de andar carregado com os sacos”, resume Sandra Martins, enquanto vai vendendo a queijada de pêssego, o pastel de nata de pêssego, o pastel de pêssego (inspirado no pastel de molho da Covilhã) ou as tigeladas de pêssego, que o espaço “Padaria do Centro”/“Balcão Bar” apresentam ao balcão.

Queixas que a autarquia conhece há algum tempo e para as quais tem procurado soluções, que está a implantar gradualmente.

“Depois de termos realizado obras e melhoramentos da coberturas e fachadas, passámos agora à promoção do espaço com iniciativas como a de hoje que, apostando numa mais-valia que são os produtos endógenos da região, também deve trazer novos públicos a este espaço, designadamente os mais novos”, sublinhou o presidente da Câmara Municipal, Vítor Pereira.

O autarca salientou ainda que esta estratégia de “revitalização e promoção” vai continuar e que, nesse sentido, tudo será feito para criar as melhores condições aos visitantes e comerciantes, nomeadamente no que diz respeito ao estacionamento, cuja eventual solução já está a ser analisada.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.