Numa carta enviada às agências de viagem e às companhias aéreas, os ministérios das Relações Exteriores, Transporte e Turismo explicaram as medidas de saúde e os protocolos para a segurança dos turistas implementados pelo país.

Com taxas de mortalidade e de contágio da COVID-19 muito baixas, Chipre considera-se um destino "seguro" e "compromete-se a cuidar dos viajantes que testarem positivo [para o novo coronavírus] durante a sua estadia e dos seus familiares".

O governo promete cobrir os gastos de alojamento, alimentação e assistência médica, se turistas infectados com o vírus adoecerem na ilha.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.