"Num estudo que nós fizemos, quase 25% dos nossos utilizadores são turistas, um número que irá crescer mais, já que são mais conscientes e sabem que o transporte púbico [na Madeira] é fiável", revelou o presidente do Conselho de Administração da empresa, Alejandro Gonçalves, na apresentação do programa Civitas Destinations, representando cerca de 375 mil turistas ano.

Este programa visa testar soluções inovadoras e sustentáveis de mobilidade, neste caso, adaptadas a destinos turísticos europeus, nomeadamente ilhas.

O projeto tem uma duração prevista de 48 meses e um financiamento total global de cerca de 20 milhões de euros, dos quais 17 milhões são cofinanciados. Os cinco parceiros regionais captam, sensivelmente, 4,5 milhões de euros do orçamento.

Alejandro Gonçalves referiu que irão ser adquiridos "autocarros mais amigos do ambiente" em linhas de alta frequência que permitem, também, o uso pelos residentes, já que esse é um dos objetivos.

"Isto é pensado em termos globais, sendo que o início dos transportes públicos é beneficiar a população residente, mas, complementarmente, ir aprofundando este mercado que sustenta, depois, o próprio transporte", explicou.

O valor de investimento permitirá, por exemplo, criar "jogos para as pessoas que estiverem na paragem em espera", ou criar "paragens com recurso a painéis solares para poupar energia", exemplificou.

Este tipo de projetos será desenvolvido pelos parceiros, como a Agência Regional de Energia e Ambiente ou a Agência Regional para o Desenvolvimento da Investigação, Tecnologia e Inovação.

Na cerimónia de apresentação, o secretário regional da Economia, Turismo e Cultura, Eduardo Jesus, realçou que o projeto permite à região acesso a fundos europeus, que de outra forma, estariam vedados à Madeira, para serem incluídos no Plano Integrado de Transportes regional.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.