A Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela (CIM-BSE) desafia este verão os portugueses e os turistas internacionais a partirem à descoberta das Beiras e Serra da Estrela. A CIM-BSE, que lançou recentemente uma aplicação para programar as suas férias nesta zona, listou uma série de razões para o convencer. Veja quais são.

Praias fluviais e zonas balneares

É possível ir a banhos nas águas dos quatro rios que nascem na Serra - o Mondego, o Zêzere, o Alva e o Alvôco. Existem dezenas de praias fluviais e zonas balneares que pode visitar e usufruir agora que o frio pertence ao passado.

Riqueza patrimonial

Há muito para descobrir pelos caminhos das Beiras e da Serra como a "arte da luz" do Côa e as gravuras rupestres. As Beiras e Serra da Estrela ladeia-se de um território rico em património cultural, histórico e religioso pautado por castelos, muralhas, igrejas milenares e um vastíssimo património judaico. Aqui encontram-se 9 das 12 Aldeias Históricas de Portugal, várias Aldeias de Xisto e Aldeias de Montanha.

O território é composto por cerca de 300 quilómetros de percursos pedestres e cinco estâncias termais. Um terço do território possui áreas classificadas, tem a reserva natural da Serra da Malcata, dois parques naturais (Parque Natural da Serra da Estrela e Parque Natural do Douro Internacional), o Geopark Mundial da UNESCO, a paisagem protegida regional da Serra da Gardunha e ainda a área protegida privada da Faia Brava.

O que tem mesmo de visitar, segundo a CIM-BSE

Em Manteigas é imprescindível a visita à praia fluvial da Relva da Reboleira localizada num contexto natural único, banhada pelas águas límpidas do Zêzere.

No Sabugal, conheça a praia fluvial de Vale das Éguas, situada numa zona de lazer natural rodeada de amieiros e freixos e com as águas do Côa a correrem livremente pelas pedras.

E, nas margens do rio Mondego, por que não aproveitar para testar os seus dotes de pesca na praia da Ratoeira (Celorico da Beira).

Em Fornos de Algodres passe pela idílica praia fluvial Ponte de Juncais.

Em Gouveia, obrigatória a passagem pela praia fluvial de Vale do Rossim situada bem no coração da Serra da Estrela, a uma altitude de 1437 metros, onde se situa o maior vale glaciar da Europa.

No município de Seia, a comunidade sugere um que passe pelas praias das Aldeias de Montanha - Lapa dos Dinheirose de Loriga (respire fundo ao entrar nas águas cristalinas que escorrem do Vale Glaciar!).

No Fundão passeie nas tradicionais barcas existentes na praia fluvial de Janeiro de Cima em pleno rio Zêzere.

Na serra da Gardunha, mesmo à entrada da aldeia histórica de Castelo Novo, aproveite para passar uma manhã de verão na sua praia fluvial e à tarde dê um salto até à Covilhã, mais concretamente à praia fluvial do Paul, vila tipicamente serrana, onde existe um poço natural que acolhe a praia com o mesmo nome. Ainda neste município há ainda a referenciar um pequeno paraíso: na praia de Unhais da Serra carregue energias nas águas cristalinas das ribeiras de Unhais e Paul, no ar puro e na paisagem idílica nos contrafortes da Serra da Estrela.

Se passar pela Guarda, mais um município com praias fluviais de cortar a respiração, poderá ser sempre opção ir a banhos ou simplesmente embrenhar-se na natureza das praias de Valhelhas, de Aldeia Viçosa em pleno parque natural ou da praia fluvial do Caldeirão, junto à albufeira da barragem.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.