A ilha grega de Antikythera tem sofrido com o envelhecimento da população e viu-se reduzida a apenas 20 moradores. A escola passou 24 anos fechada e só abriu no ano passado depois de uma família com crianças se ter mudado para a ilha.

Agora, a diocese local da Igreja Ortodoxa Grega está disposta a patrocinar algumas famílias que queiram viver na ilha. O processo de seleção é cuidadoso e dá preferência a cidadãos gregos, no entanto, qualquer pessoa escolhida para participar no programa receberá um terreno, uma casa e uma quantia mensal de 500 euros durante os primeiros três anos em que morar lá.

Antikythera tem vinte quilómetros quadrados de natureza quase intocada, com águas de esmeralda e apenas uma vila, Potamos, que também serve como o principal porto e ponto de chegada da ilha. A ilha é de difícil acesso, embora exista um ferry para Potamos, que funciona entre Antikythera e Creta, numa viagem que demora duas horas. O clima, no entanto, pode afetar muito a frequência com que o ferry passa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.