Um deles está no centro da vila. É uma anta construída há cinco mil anos e foi adaptada a templo cristão no séc. XVII. Tal como sucedeu em Brissos, no concelho de Montemor-o-Novo.

Pavia
créditos: andarilho.pt

A anta-capela não passa despercebida. Tem mais de três metros de altura e quatro de diâmetro. Ainda preserva os sete esteios e a laje de cobertura. São pedras enormes. Tem uma pequena torre sineira, uma cruz e no interior construíram um altar revestido com um painel de azulejos do século XVII, de cor azul e contrasta com o tom frio da pedra.

Pavia
créditos: andarilho.pt

“Estamos a falar de uma das maiores antas da Península Ibérica e tem uma importância extraordinária na arte megalítica”, refere Luís Matos, presidente da Câmara de Mora. O autarca sublinha igualmente outros estudos arqueológicos, “o povoado que tem sido estudado desde 1914.

Pavia
créditos: andarilho.pt

Existiu ali sete mil anos antes de Cristo, teve uma importância relevante e terá contribuído para a população se fixar.  Nestes mais de 100 anos de estudos foram encontradas inúmeras peças. Artefactos que eram usados para a caça, pesca, o dia a dia das pessoas.

Pavia
Museu Interactivo do Megalitismo em Mora créditos: andarilho.pt

Isto também contribuiu para a construção do Museu Interactivo do Megalitismo  que foi implantado aqui em Mora.” Luis Matos não tem dúvidas de que, em termos históricos, Pavia será a freguesia mais importante do concelho de Mora.”

A anta-capela está classificada como Monumento Nacional e recebeu o nome de D. Dinis em homenagem à atribuição pelo rei de carta de foral a Pavia.

Pavia
créditos: andarilho.pt

A antiga sede do município fica noutra praça que nos surpreende pela sua beleza  e a traça antiga da igreja da Misericórdia, a torre do relógio, o coreto e o edifício dos antigos Paços do Concelho. “São construções muito antigas.

Pavia
Antigo Paços do Concelho créditos: andarilho.pt

O que é hoje a sede da Junta de Freguesia foi no passado a sede dos antigos Paços do Concelho. É também um edifício antigo. É visitado por muita gente porque é uma casa com divisões pequenas, baixas e paredes muito grossas que se usavam há muitos anos por causa do calor. Pode-se ver o edifício e preserva muito do que era a traça alentejana.”

Pavia
créditos: andarilho.pt

No meio do coreto temos uma vista de 360º da praça e das ruas brancas, limpas, mas com pouca gente. Uma dessas ruas leva-nos a outro Monumento Nacional.  À igreja de São Paulo ou Igreja Matriz.

Pavia
Igreja Matriz de Pavia créditos: andarilho.pt

Fica num alto, mais ou menos isolada, parece uma fortaleza e a origem remonta a outra igreja do início do século XIV.

Pavia
Igreja de S. Francisco em Pavia créditos: andarilho.pt

No largo onde está a anta-capela está a igreja de S. Francisco. Foi construída em homenagem aos que morreram na batalha de Alcácer Quibir.

Pavia
Casa Museu Manuel Ribeiro de Pavia créditos: andarilho.pt

Neste largo temos ainda a Casa Museu Manuel Ribeiro de Pavia, um dos ilustres da vila no universo das artes. O Manuel Ribeiro de Pavia foi um artista muito importante na sua época, no entanto, só mais tarde teve o seu reconhecimento.

Ele fazia ilustrações para muitas obras literárias que foram publicadas na altura.

Pavia
Manuel Ribeiro de Pavia créditos: andarilho.pt

Fez parte do movimento neo-realista e conviveu com imensos escritores de relevo, nomeadamente o Alves Redol.”
Luís Matos refere ainda que podemos ver na casa Museu “muitas obras que a Câmara ao longo dos anos foi adquirindo e outras que nos foram oferecidas. Mas, eu diria que a maior parte do seu espólio está nas mãos de colecionadores privados.”

Pavia
créditos: andarilho.pt

A Casa Museu museu reúne algumas obras sobre Pavia e o que mais se destaca são ilustrações e pinturas de Manuel Ribeiro de Pavia. Uma redescoberta das ilustrações de muitos romances do neorrealismo, inclusive do próprio Fernando Namora que foi médico em Pavia.

Pavia
Pintura de Fernando Namora créditos: andarilho.pt

Do escritor “o que existe é a casa onde ele viveu. No livro Retalhos da Vida de um Médico algumas partes têm por base o que era a vivência das pessoas em Pavia” e há também um quadro de Namora que está na Câmara Municipal, uma pintura que retrata as paisagens do Sorraia.

Pavia
Cromeleque das Fontainhas créditos: andarilho.pt

Outra descoberta de Pavia é através de percursos pedestres, especialmente os monumentos megalíticos.

Pavia
créditos: andarilho.pt

Pavia não se fez num dia e só a anta-capela tem 5 mil anos faz parte do programa da Antena1 Vou Ali e Já Venho, e a emissão deste episódio pode ouvir aqui.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.