Se nunca ouviu falar de geocaching ou se conhece a expressão mas não sabe muito bem como funciona, tentaremos explicar de forma breve: é uma espécie de caça ao tesouro em que a parte mais valiosa é, na verdade, o caminho que se faz até encontrar a cache escondida e não o prémio em si. É uma atividade ao ar livre feita através de coordenadas de GPS que permite aos participantes conhecerem os lugares de uma forma diferente. Através de rotas disponibilizadas online, os participantes (geocachers) viajam até os locais indicados à procura de uma pequena caixa (cache), onde deixam a sua marca quando a encontram.

Se esta breve explicação aguçou-lhe a curiosidade, então está preparado para participar na Alentejo GeoTour que será lançada este sábado pela Associação Geo Alentejo. Sob o mote "o melhor do Alentejo está escondido", a iniciativa pretende "atrair geocachers mas também turistas 'comuns' que podem praticar a atividade e visitar o Alentejo", explica ao SAPO Viagens Rui Caeiro, presidente da associação.

Esta rota consiste em 141 pontos de geocaching assinalados entre Portalegre e Mértola, tendo como fio condutor a bacia hidrográfica do rio Guadiana. O objetivo é dar a conhecer o interior do Alentejo, fugindo ao litoral que costuma ser muito mais procurado. O percurso passa por locais mais turísticos, como a vila de Monsaraz ou o castelo de Mértola, mas também por cenários naturais, quedas e espelhos de água, museus e outros pontos menos conhecidos. Na galeria abaixo, pode ver alguns dos pontos da rota.

Qualquer pessoa pode participar de forma gratuita, basta fazer um registo no site geocaching.com e juntar-se à comunidade de cerca de 20 mil geocachers ativos em Portugal. A partir daí pode consultar a rota e conhecer os pontos de interesse pelos quais terá de passar para conseguir descobrir as caches. Durante o percurso, também ficará a conhecer algumas economias locais, como "cortiça, mármore ou barro".

Numa altura em que muitas atividades em grupo foram canceladas por causa da pandemia, o geocaching torna-se apelativo pois é uma atividade onde "não existem aglomerações, é praticada ao ar livre e não tem uma data marcada". Rui Caeiro salieta que durante o confinamento houve um aumento da procura do geocaching no Alentejo. A partir de agora, com esta nova rota, a associação prevê que geocachers estrangeiros desloquem-se ao Alentejo para percorrê-la. "Em Espanha, Alemanha e França, há grupos de geocachers muito fortes".

A associação lançou também um passaporte para que os participantes possam ir assinalando os lugares por onde passaram. Mais informações sobre o Alentejo GeoTour aqui.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.