O ex-líbris do Parque Natural do Vale do Guadiana já entra nos roteiros turísticos mas continua agreste, arrepiante e indomável. A queda de água, as rochas, a força da natureza, o lugar isolado... tudo revela uma força selvagem e ao mesmo tempo de deslumbramento.

A cascata de 16 metros de altura e a água do Guadiana a fazer contorcionismo entre rochas afiadas ao longo de milhares de anos colam o nosso olhar a este prodígio da natureza.

O rio corre sereno por um vale enorme, com encostas altas e algumas marcadas por caminhos. Há uma antiga estação elevatória de água e metros depois acaba a harmonia.

A água ganha velocidade, cai nas cascatas e é engolida por um enorme vale de pedras que enrolam o Guadiana ao longo de centenas de metros.

Pulo do Lobo
As cascatas têm 16 metros de altura créditos: Who Trips

Mas não se pense que são as rochas que levam a melhor. É a água que há milhares de anos provoca uma profunda erosão e que transforma o leito do rio, tornando-o cada vez mais profundo.
Devido à erosão as rochas escuras têm formas invulgares. Algumas parecem completamente ocas com poças de água.

Pulo do Lobo
As rochas com concavidades provocadas pela erosão créditos: Who Trips

São os seixos arrastados pela água e num movimento circular desgastam as rochas e provocam estas concavidades.

Tudo isto aos nossos pés, com o olhar vertiginoso apoiado numa corrente metálica cujos apoios também já foram corroídos pela ferrugem. Não é bom para quem tem vertigens e difícil de controlar para crianças irrequietas.

Há unanimidade em todos os postos de informação para se ter cuidado e seguir as recomendações e o percurso sugerido.

Pulo do Lobo
Caminho do lado da Mina de S. Domingos créditos: Who Trips

Pode-se chegar por vários caminhos e há percursos pedestres pelos concelho de Mértola e Serpa. Talvez o acesso mais fácil seja pela Amendoeira da Serra. Temos de entrar na Herdade Pulo do Lobo, abrir e fechar o portão, e fazer o resto do caminho por estrada de terra batida.

Pulo do Lobo
Portão na Herdade Pulo do Lobo créditos: Who Trips

O ponto final é muito próximo da catarata. Um pouco antes vale a pena parar para se ter uma visão de conjunto do vale, da longa garganta rochosa que encaminha o Guadiana para Sul.

A Câmara Municipal de Serpa tem um projecto de construção de um passadiço no Pulo do Lobo. Pode ser uma mais valia importante para que a visitação seja mais segura e por mais espaços ao longo do Guadiana e da garganta rochosa.

Pulo do Lobo
Estrada de terra batida próximo das cataratas créditos: Who Trips

A energia telúrica do lugar, mesmo com o passadiço, vai continuar a ser selvagem. Sem comunicações móveis, pelo menos de uma rede. Foi o isolamento que lhe deu fama com Cavaco Silva e, pelo menos na minha visita, os telemóveis continuam em silêncio.

O Pulo do Lobo selvagem faz parte do programa da Antena1, Vou Ali e Já Venho, e pode ouvir aqui.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.