Se já visitou o Parque Nacional da Peneda-Gerês, provavelmente, ficou fascinado com as paisagens, as cascatas, as florestas e todos os outros tesouros que podem ser encontrados no único parque nacional de Portugal. Se ainda não teve a oportunidade de visitar este santuário de natureza, está na altura de planear uma viagem e este vídeo pode servir de inspiração.

Através da técnica de fotografia em movimento, conhecida como 'timelapse', Paulo Ferreira aliou duas paixões: a fotografia de natureza e as caminhadas que gosta de fazer pelo Parque Nacional da Peneda-Gerês, conta ao SAPO Viagens. O resultado está à vista. Veja o vídeo:

No vídeo, podem ser vistos os locais mais emblemáticos do Gerês, com destaque para: Prados da Messe, Vale da Teixeira, Cascata do Arado, Carris, Fonte Fria, Vale do rio Homem, Sombrosas, Porto da Laje, Pitões das Júnias, São João da Fraga, Fraga de Brasalite, Castro Laboreiro e Vilarinho das Furnas.

O processo de recolha das cerca de 9 mil imagens, que juntas dão vida a este 'timelapse', demorou quase um ano. "Não porque definisse um prazo para o concretizar, antes sim porque necessitava de caminhar por trilhos do parque e ter a sorte de que alguns fenómenos naturais surgissem mais evidentes, como por exemplo as neblinas matinais ou a via láctea à noite", explica Paulo Ferreira. A edição do vídeo demorou cerca de um mês.

O fotógrafo especializado na técnica de 'timelapse' considera que o Gerês ainda é um local pouco conhecido pelos portugueses. "Isto porque apesar de existirem vários acessos que proporcionam um visita de automóvel, os locais mais bonitos e emblemáticos estão longe dessas estradas e, como tal, só possíveis de aceder através de trilhos", considera.

"Por exemplo a Mata de Albergaria, a Portela do Homem ou a Cascata do Arado são locais que no verão ficam repletos de pessoas, mas que se limitam geograficamente à envolvente desse mesmo ponto de interesse. Na minha opinião, as autoridades competentes deveriam ter mais controlo sobre o número de pessoas que acorrem a esses locais em busca unicamente da 'selfie'", diz o fotógrafo.

Fotografia em movimento

Paulo Ferreira está ligado à fotografia desde sempre e há cerca de oito anos começou a desenvolver e a aperfeiçoar as técnicas de 'timelapse' ou fotografia em movimento, como gosta de dizer. Colabora com empresas ligadas à publicidade, ao audiovisual e multimédia, agências de turismo e viagem, no sentido de promover Portugal no exterior, sendo líder de expedição na agência de viagens Fotoadrenalina. É formador de técnica de 'timelapse' no Instituto Português de Fotografia.

Já desenvolveu vários projetos premiados, entre eles um vídeo sobre os Picos da Europa, duplamente premiado no Festival Timelapse Showfest de Madrid em, 2015, e também no festival de cinema Finisterra, em Sesimbra em 2016, ou o documentário “Nordlys”, uma ode às Auroras Boreais que pretende chamar atenção para os problemas do planeta. Foi com este filme curto que obteve aquele que é designado por "Óscar dos documentários independentes" num consagrado festival de cinema de Hollywood, em Los Angeles, ao arrecadar dois prémios reunidos num troféu de melhor fotógrafo de 'timelapse' e melhor documentário de 'timelapse'.

Neste momento, Paulo Ferreira está a trabalhar num projeto sobre a Patagónia, através de um campanha de crowdfunding. "Trata-se de um projeto que passa pela produção de um documentário curto na técnica de 'timelapse' e vídeo, bem como de um livro de fotografia e que pretendo realizar a latitudes mais a sul do globo terrestre, algures entre a Argentina e o Chile", explica o fotógrafo do Porto.

Pode seguir o trabalho de Paulo de Ferreira na página de vídeos do Ptimelapse.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.