Leocádia Maria Sarapicos foi para Penas Róias há 48 anos e ficou.  Ela e o marido nasceram na Talha, Macedo de Cavaleiros, e estiveram a trabalhar para um casal em Penas Róias.

Penas Róias
Leocádia Maria Sarapicos créditos: andarilho.pt

“Os filhos casaram por aqui” e eles já não regressaram à terra natal.

A casa de Leocádia Sarapicos fica à entrada da aldeia, a caminho do castelo, por onde passam os visitantes.

Penas Róias
créditos: andarilho.pt

“Há muita gente a visitar a aldeia. Alguns chegam em excursões. Vão ao castelo e andam por aí.”

Ela própria me sugere os encantos a descobrir de Penas Róias: “o castelo, o pelourinho que já está quase todo no chão e mais à frente uma fraga”.

Penas Róias
créditos: andarilho.pt

É uma das portas de entrada para o "Reino Maravilhoso" de Miguel Torga, a feliz descrição do universo transmontano - porque o Turismo não projeta este conceito na imagem da região!?

Leocádia também me explica o modo de vida da aldeia que a adotou há 48 anos e que está a ficar sem habitantes. Ela calcula que Penas Róias tenha cerca de 65 habitantes, um número muito aquém de quando se instalou na aldeia.

Penas Róias
Júlio Prates, (está levantado) créditos: andarilho.pt

Júlio Prates, outro habitante da aldeia, diz que Penas Róias está a ficar envelhecida embora tenha as estruturas básicas e até seja uma das aldeias mais bonitas do concelho de Mogadouro.

Penas Róias
créditos: andarilho.pt

A economia de subsistência baseia-se na agricultura e a pastorícia que também é diminuta. “Havia muitos pastores e cabreiros, agora não há nada”, conclui Leocádia Maria Sarapicos.

Penas Róias
créditos: andarilho.pt

O sinal de envelhecimento e da desertificação é o pequeno casario de xisto com muitas casas abandonadas.

Na verdade, o que mostra maior resistência à erosão do tempo é a torre do castelo.

Penas Róias
Vista para o castelo de Algoso créditos: andarilho.pt

É roqueiro, no alto do morro, fica em linha de vista com mais dois castelos conforme explica Luzia Salgado do Turismo de Mogadouro – “conseguimos ver os castelos de Algoso e de Mogadouro. Esta linha defensiva comunicava entre si e envolvia mais estruturas defensivas.”

Penas Róias
créditos: andarilho.pt

No castelo temos ainda vista para a aldeia e uma barragem, cuja albufeira abastece várias localidades da região.

Penas Róias
créditos: andarilho.pt

As antigas vilas de Mogadouro e Penas Róias foram objeto de troca entre Dom Sancho I e os Templários. No final do século XII, o rei deu Idanha-a-Nova à Ordem em troca de Mogadouro e Penas Róias.

Penas Róias
créditos: andarilho.pt

No entanto, alguns anos depois, Penas Róias voltou para a administração dos templários. Entre os séculos XV e XVIII são os Távora os senhores destas terras.

Penas Róias
créditos: andarilho.pt

As Penas Róias do “Reino Maravilhoso” faz parte do programa da Antena1 Vou Ali e Já Venho, e a emissão deste episódio pode ouvir aqui.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.