Saia de Mogadouro pela N219 na direcção de Vimioso. Percorridos cerca de dezoito quilómetros apercebe-se, ainda distante, o castelo de Algoso, e a primeira impressão é de que faz um todo com monte granítico de quase setecentos metros.

A partir daí rode sem pressa, porque a cada curva vai mudando a perspetiva, e de súbito, antes de atravessar a ponte sobre a ribeira, há-de parecer-lhe que se tem defronte um daqueles cenários dos filmes históricos de Hollywood, dos antigos, a preto e branco, e nem é precisa muita imaginação para adivinhar lá no alto os guerreiros nas ameias.

Trás-os-Montes, o Nordeste; J. Rentes de Carvalho

Castelo de Algoso
créditos: andarilho.pt

É difícil encontrar um castelo erguido no topo de um penhasco tão alto como o de Algoso, no concelho de Vimioso.

De tal forma que nos séculos em que esteve ativo como estrutura defensiva nunca houve grandes preocupações do lado da encosta quase a pique.

Castelo de Algoso
créditos: andarilho.pt

A sua posição dominante e de valor estratégico era de tal forma relevante que foi alvo de negociação por parte de Dom Sancho I. Trocou-o por Vimioso.

Da estrada principal a caminho da aldeia, do lado sul, a torre de menagem avista-se ao longe como também o precipício rochoso. “Está assente num promontório, é um castelo roqueiro e altaneiro e está protegido pelos rios Angueira e Maçãs.”

Castelo de Algoso
créditos: andarilho.pt

O rio Angueira de que fala Clarisse Alves vê-se bem do castelo como também a ponte romana. O castelo de Algoso é um excelente miradouro. Temos uma vista de 360 graus do planalto mirandês.

Um vasto território entre o Douro e o rio Sabor do qual o castelo foi o centro político e militar.

Castelo de Algoso
Vista para o castelo de Penas Róias créditos: andarilho.pt

“O castelo foi fundado por Dom Mendo Rufino nos princípios do século XIII. Ele era amigo de Dom Henrique e Dona Teresa e terá apoiado Dom Afonso Henriques contra a mãe. No castelo residiam os coletores de impostos em toda a área das Terras de Miranda. Mais tarde, Dom Sancho II doou-o à Ordem de São João do Hospital, depois à Ordem de Malta e foi sede dessa comenda até ao século XVIII.”

Castelo de Algoso
Pelourinho créditos: andarilho.pt

O castelo teve relevância militar primeiro na Reconquista e depois na defesa da fronteira com o reino de Leão. Terminadas as escaramuças fronteiriças, o castelo foi adaptado e teve sobretudo funções como sede da Ordem de Malta.

Castelo de Algoso
créditos: andarilho.pt

“Foi perdendo relevância militar ao longo do Renascimento. No entanto, foi adaptado a novas técnicas de artilharia. A muralha foi alteada e houve um baluarte a proteger a entrada principal em meãos do século XVII, na altura da Restauração.

Castelo de Algoso
créditos: andarilho.pt

Passou depois para segunda linha de defesa. A primeira linha controlava melhor o comércio e era constituída por Vimioso, Miranda e Outeiro. Sabe-se que em 1710 no castelo de Algoso ainda viviam 20 soldados. Era pouco, mas ainda era um castelo ativo.”

Castelo de Algoso
créditos: andarilho.pt

A aldeia abandonou o castelo, foi para o vale devido a falta de água. Há relatos populares que apontam outro motivo, por haver muitas formigas com grande capacidade de destruição. Seja qual for a razão, a partir do século XVIII a fortificação ficou ao abandono.

Castelo de Algoso
créditos: andarilho.pt

“Vê-se a torre de menagem, o torreão que servia de proteção a essa entrada, a ponte cisterna e o sitio onde seria a cozinha. Havia uma casa de armas, cavalariças e também a torre sul, entretanto desaparecida.”

Castelo de Algoso
créditos: andarilho.pt

É no lugar desta torre sul que nas noites de São João aparece uma donzela a pentear-se. “Segundo a lenda, numa altura em que o castelo estava ocupado pelos árabes uma donzela apaixonou-se por um cavaleiro cristão e abriu-lhe a porta. Em represália, o pai fechou-a numa torre. Ela é avistada junto à mina do castelo nas noites de São João a pentear os seus cabelos. Quando alguém a vê transforma-se em cobra e foge.”

Castelo de Algoso
Clarisse Alves créditos: andarilho.pt

Seguindo a descrição de Clarisse Alves, “há muitos namorados que vão à cisterna e outros festejam ali as vésperas de casamento.”

O acesso ao castelo foi reconstruido.

Castelo de Algoso
Centro de Acolhimento créditos: andarilho.pt

Quando da realização destas obras foram efetuadas escavações arqueológicas que revelaram vestígios da ocupação do cabeço da Penenciada que remonta à idade do cobre. Muitos desses achados arqueológicos estão no Centro de Acolhimento, na zona urbana de Algoso.

Castelo de Algoso
créditos: andarilho.pt

Depois de visitar a exposição arqueológica tem obrigatoriamente de ir à igreja ver o inferno. Uma fantástica representação dos apelos demoníacos e seminus que está num quadro pendurado numa parede lateral. No exterior, na parte sul, a igreja matriz tem ainda as armas reais.

Um outro templo religioso é a Capela de São Roque que foi construída pelo povo. Como promessa que se realizou. Acaba de construir a capela deixou de haver sinais de peste em Algoso.

Castelo de Algoso
créditos: andarilho.pt

Algoso: o castelo do “reino maravilhoso” faz parte do programa da Antena1 Vou Ali e Já Venho, e a emissão deste episódio pode ouvir aqui.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.