Vive-se um ambiente calmo, apesar de estarmos na cratera de um vulcão. Cores vivas misturam-se com as fumarolas onde se faz o cozido e a enorme lagoa silencia o som dos carros na estrada que passa ao lado.

No lado Sul da Lagoa, o cenário é mais bonito e surpreendente. Uma encosta densamente arborizada termina junto à água acompanhada da beleza de dois chalés e de uma ermida de estilo gótico.

Ermida Senhora das Vitórias
créditos: andarilho.pt

Uma torre alta, de pedra escura, onde sobressaem os vitrais colocados em 13 janelas em ogiva. No interior da Ermida de Nossa Senhora das Vitórias avaliamos com mais detalhe a beleza dos vitrais que representam cenas bíblicas.

Ermida Senhora das Vitórias
créditos: andarilho.pt

Recentemente, foram recuperados e revelam com maior nitidez o resultado  do efeito da luz.
O ambiente é relativamente escuro, são os feixes de luz dos vitrais que orientam o nosso olhar para o chão onde repousa desde 1898 o corpo de José do Canto.

Ermida Senhora das Vitórias
créditos: andarilho.pt

“Era uma pessoa que tinha posses e casou com uma morgada que tinha muitas terras na ilha de São Miguel. Ele ficou a tomar conta das propriedades e gostou muito da Lagoa das Furnas. Idealizou fazer aqui um lugar para ele”.

Ermida Senhora das Vitórias
Margarida Ribeiro créditos: andarilho.pt

É assim que começa a história da ermida e de toda esta zona sul da Lagoa e a narração é de Margarida Ribeiro, trisneta de José do Canto.

Ermida Senhora das Vitórias
créditos: andarilho.pt

É ela que também nos conta que a ermida foi uma promessa do seu trisavô quando estava a viver em Lisboa com a mulher e os filhos. “Segundo conta a família, e cartas que ele escreveu vão no mesmo sentido, nessa altura a mulher esteve muito mal. Ele prometeu que se ela melhorasse ele fazia aqui uma igreja em Honra de Nossa Senhora das Vitórias.” Cumpriu a promessa.

Ermida Senhora das Vitórias
créditos: andarilho.pt

“Trouxe um arquiteto francês. A. Bonett fez o projeto da capela com o estilo francês, que nada tem a ver com o que era habitual em Portugal. Os vitrais vieram de França e tudo veio de fora. Está lá tudo como primitivamente se fez. Ele morreu muito tempo depois e ainda viu a capela feita.”

A ermida está classificada como Imóvel de Interesse Público e foi inaugurada em 1886, uma dúzia de anos antes da morte de José do Canto que revolucionou toda esta área da Lagoa das Furnas. “O terreno era de muita gente e ele comprou pequenas parcelas.

Ermida Senhora das Vitórias
créditos: andarilho.pt

Até atingir o tamanho que ele pretendia fez mais de uma centena de escrituras. Ele começou a idealizar o jardim e a fazer as casas. O jardim foi desenhado por um arquiteto francês e acabado por outro, George Aumont. Fez também o chalé, que eles chamaram o Pavilhão de Pesca. Em princípio, esta instalação não era para residência, mas para vir pescar. A outra casa, foi feita na mesma altura e designaram de Pavilhão dos Barcos.”

Ermida Senhora das Vitórias
créditos: andarilho.pt

O chalé de estilo franco-suíço (hoje designa-se Casa da Lagoa) é fascinante, com um jardim que namora a lagoa, partilhando um mundo isolado.

A Casa dos Barcos é de estilo anglo-flamengo, (as duas habitações estão agora dedicadas a alojamento turístico) tem igualmente vista para a lagoa e é também ponto de observação da ermida.

Ermida Senhora das Vitórias
créditos: andarilho.pt

A casa está próxima da entrada para outro legado assinalável de José do Canto. A Mata-Jardim com uma grande diversidade de plantas importadas e o desenho de arquitetos paisagistas franceses, um deles, co-autor dos jardins dos Campos Elísios em Paris.

Ermida Senhora das Vitórias
A lagoa e a Capela de Nossa Senhora da Vitória créditos: andarilho.pt

A reflorestação desta zona demorou décadas e teve também o contributo de jardineiros ingleses. Este património continua salvaguardado na mata-jardim de dez hectares.

Ermida Senhora das Vitórias
créditos: andarilho.pt

O jardim é muito bonito e tem muitas árvores antigas. Estão quase todas classificadas. Ainda há árvores plantadas por José do Canto. Uma azinheira, uma sequoia. Nós tentamos preservar este património. Elas vão caindo e nós repomos. Há muitas que foram plantadas pelos meus pais, como por exemplo as camélias.”

Ermida Senhora das Vitórias
créditos: andarilho.pt

As camélias são mais vistosas de janeiro a maio. Há ainda o vale dos fetos e o cenário fica completo com uma cascata.

O custo do acesso ao jardim pode ser partilhado com o ingresso no Centro de Monitorização e Investigação das Furnas. Quem quiser pode também optar por outros percursos, gratuitos, e que circundam a Lagoa das Furnas.

Ermida Senhora das Vitórias
créditos: andarilho.pt

Ver ainda: José do Canto, um gentleman farmer açoriano e programa na RTP

A singular e bela ermida de Nossa Senhora das Vitórias na Lagoa das Furnas faz parte do programa da Antena1 Vou Ali e Já Venho, e a emissão deste episódio pode ouvir aqui.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.