Não ia com grandes expectativas e não investiguei muito a cidade. O hotel que marquei por duas noites foi a primeira das boas surpresas: barato, moderno e com um atendimento ao cliente muito simpático.

Depois descobri que a cidade foi fundada em 279 a.C e foi o berço de Constantino, o Grande - o imperador romano que converteu Roma ao cristianismo e fundou a grande cidade de Constantinopla (atual Istambul). Para quem gosta tanto de história como eu, a paragem nesta cidade, ganhou logo outro interesse.

Niš é a terceira maior cidade da Sérvia. É uma cidade universitária, com uma vibração jovem, cheia de bares e bons restaurantes, mas os vestígios da sua história estão por todo lado: há ruínas romanas, uma fortaleza otomana, uma torre de caveiras e muito mais.

Nis
créditos: Travellight e H. Borges

Não é uma cidade muito grande, mas como a indústria do turismo não está desenvolvida, ir mais longe do que o centro pode ser um pouco complicado. A maioria das pessoas, apesar de ser muito simpática e está disposta a ajudar, não fala inglês. O mapa que me arranjaram no hotel estava escrito em alfabeto cirílico, assim como muitas das placas na rua, por isso andei um pouco “às aranhas” quando quis visitar atrações mais distantes do centro…

Fortaleza
créditos: Travellight e H. Borges

A Fortaleza de Niš, está localizada no centro histórico e é considerada uma das fortificações mais bem preservadas deste tipo na Península Balcânica. É um monumento complexo e importante, erguido durante o século XVIII, por turcos otomanos, no local de antigas fortificações (antigos fortes romanos, bizantinos e, mais tarde, medievais).

A entrada na fortaleza é livre e podemos subir até ao topo da torre para ver as vistas de Niš.

Dentro das muralhas existe um belo parque, cafés, bares, um pequeno jardim botânico, uma biblioteca e algumas preciosidades arquitetónicas, como uma antiga mesquita e edifícios romanos. Em agosto acontece aqui o Nišville Jazz Festival, que junta músicos de jazz da sérvia e de outros países particularmente dos Balcãs.

Fortaleza
créditos: Travellight e H. Borges

Ao lado da fortaleza está o rio Nišava que atravessa Niš. É um bom lugar para passear, descansar ou comer. Existem alguns restaurantes e bares ao longo da margem, bem agradáveis onde podemos comer uma salada, beber algo ou experimentar uma especialidade sérvia como burek.

A Torre da Caveira é uma das atrações principais da cidade e causa uma forte impressão. A sua história é triste e mórbida e remonta a 1809, ano em que os otomanos invadiram Čegar Hill, perto de Niš. Conta-se que nessa ocasião, os rebeldes sérvios, sabendo que não tinham qualquer hipótese de sobrevivência e querendo evitar a tortura, suicidaram-se fazendo explodir uma bomba. Os otomanos, não satisfeitos com esta atitude decapitaram os rebeldes mortos e construíram uma torre com os seus crânios.

Torre da Caveira
créditos: Travellight e H. Borges

Quando o Império Otomano se retirou de Niš, os familiares ainda vivos dos rebeldes foram até à torre para remover os crânios que acreditavam ser dos seus entes queridos, mas ainda hoje há vários crânios embutidos na parede, assim como marcas daqueles que já foram retirados.

Um pouco distante do centro, fica o Parque Memorial de Bubanj - local onde durante a Segunda Guerra mundial, os alemães executaram cerca de 10 mil judeus, ciganos e sérvios. Para lembrar este acontecimento triste e homenagear os mortos foi erguido um monumento comovente que vale a pena ver e visitar.

Memorial
créditos: Travellight e H. Borges

Mas Niš tem muito mais para oferecer do que memórias tristes. Kazandzijsko Sokace, por exemplo, é uma das ruas mais animadas da cidade, com muitos restaurantes e bares e muitos jovens e famílias a passear e a conviver. Originalmente, esta rua abrigava lojas, oficinas e casas de artesãos. Apenas uma parte dessas casas foi preservada e hoje é protegida pelo estado como um complexo de grande valor arquitetónico.

Ali perto fica a estátua dedicada a Stevan Sremac, um famoso escritor sérvio. A escultura de bronze representa o escritor, o caçador Kalca (um personagem da sua novela “Festa de Ivko”) e o seu fiel cão Capa.

Escultura
créditos: Travellight e H. Borges

A Sérvia tem muitas igrejas ortodoxas e Niš não é exceção. Uma das mais bonitas é a Catedral da Santíssima Trindade.

Sigam as minhas aventuras mais recentes no Instagram e no Facebook 

Artigo originalmente publicado no blogue The Travellight World

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.