Parti cedo da pequena cidade de Puerto Varas e em pouco tempo estava às portas do Parque. O plano era visitar primeiro os Saltos de Petrohué, um marco importantes do sul do Chile.

Estas quedas de água de cor verde e azul turquesa há muito que encantam visitantes de todas as partes do mundo. Podem ser admiradas depois de percorrer uma pequena trilha onde a natureza exuberante da região mostra todo o seu esplendor.

Patagónia: as paisagens magníficas do Parque Nacional Vicente Perez Rosales
créditos: Travellight e H. Borges

Em volta do rio, que fica com uma cor ainda mais bonita quando o sol incide sobre as suas águas, há muito verde e, ao longe, a compor a perfeita imagem de cartão postal está o belo vulcão Osorno.

Petrohué significa na língua mapuche “lugar de petros”, um tipo de mosquito muito presente na região, principalmente no verão (mas eu não vi nenhum).

O rio tem um comprimento aproximado de 36 km, parte do Lago de Todos os Santos e ao longo de seu curso atravessa um vale marcado por enormes falésias esculpidas por glaciares.

Patagónia: as paisagens magníficas do Parque Nacional Vicente Perez Rosales
créditos: Travellight e H. Borges

A mistura de tons esverdeados e azul turquesa da água impressionam e o imponente vulcão Osorno que domina a paisagem de fundo também. É um cenário magnifico.

Existe uma estrutura montada com passadeiras e miradouros que permite aos visitantes ver os Saltos de Petrohué bem próximo da água, mas quem quiser ainda mais proximidade, pode fazer um passeio de barco pelo rio. Decidi caminhar até um pouco mais abaixo onde existia uma trilha que conduzia até à margem e fiquei a ver o rio correr, mais uma vez fascinada pelas suas cores e beleza.

De lá, segui para o lago que dá origem ao rio Petrohué, o Lago Todos los Santos, onde mais um cenário idílico me esperava.

Em volta do rio, que fica com uma cor ainda mais bonita quando o sol incide sobre as suas águas, há muito verde e, ao longe, a compor a perfeita imagem de cartão postal está o belo vulcão Osorno.  Petrohué significa na língua mapuche “lugar de petros”, um tipo de mosquito muito presente na região, principalmente no verão (mas eu não vi nenhum).  O rio tem um comprimento aproximado de 36 km, parte do Lago de Todos os Santos e ao longo de seu curso atravessa um vale marcado por enormes falésias es
créditos: Travellight e H. Borges
Em volta do rio, que fica com uma cor ainda mais bonita quando o sol incide sobre as suas águas, há muito verde e, ao longe, a compor a perfeita imagem de cartão postal está o belo vulcão Osorno.  Petrohué significa na língua mapuche “lugar de petros”, um tipo de mosquito muito presente na região, principalmente no verão (mas eu não vi nenhum).  O rio tem um comprimento aproximado de 36 km, parte do Lago de Todos os Santos e ao longo de seu curso atravessa um vale marcado por enormes falésias es
créditos: Travellight e H. Borges

O Lago Esmeralda, como também é conhecida esta atração natural, nasceu de um antigo glaciar e possui ao seu redor uma exuberante vegetação e várias espécies marinhas. Quem faz um passeio de barco pelo lago é brindado com vistas magníficas dos majestosos vulcões Osorno, Puntiagudo e Tronador.

Próximo do Lago Todos los Santos e da fronteira com a Argentina, fica Peulla, uma pequena aldeia que integra o famoso circuito turístico Cruce Andino. É um lugar que chama a atenção pelos seus cenários bucólicos e tranquilos, onde a natureza é soberana. Neste lugar é possível pescar, andar a cavalo ou simplesmente caminhar e admirar a paisagem.

Em volta do rio, que fica com uma cor ainda mais bonita quando o sol incide sobre as suas águas, há muito verde e, ao longe, a compor a perfeita imagem de cartão postal está o belo vulcão Osorno.  Petrohué significa na língua mapuche “lugar de petros”, um tipo de mosquito muito presente na região, principalmente no verão (mas eu não vi nenhum).  O rio tem um comprimento aproximado de 36 km, parte do Lago de Todos os Santos e ao longo de seu curso atravessa um vale marcado por enormes falésias es
créditos: Travellight e H. Borges

Os guias locais dizem a brincar que Peulla é o paraíso dos maridos porque não tem nenhuma loja. O lugar é pacato, silencioso, ideal para quem gosta de descansar. Eu fiquei encantada e mais uma vez apaixonada pela Patagónia.

Sigam as minhas aventuras mais recentes no Instagram e no Facebook

Artigo originalmente publicado no blogue The Travellight World

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.