Nice atrai muitos turistas, conta com boas opções de hospedagem, bons serviços e costuma desempenhar a função de ponto de partida para quem deseja explorar a Riviera Francesa.

Depois de Paris é o destino francês mais visitado. Rivaliza também com a capital no que diz respeito ao número de museus e no que toca ao aeroporto e porto, que são quase tão movimentados quanto os da cidade da luz.

A forte identidade de Nice valeu-lhe sucessivas revoltas contra a coroa francesa. Luís XIV interrompeu esse hábito mandando demolir o castelo da cidade. A identidade manteve-se e Nice redimiu-se dando à Itália o seu libertador, Garibaldi. Liberta da pressão militar, a cidade dedicou-se ao comércio e, desde há 200 anos, ao turismo.

Aqui se iniciou uma tradição de elegância e elitismo que se estendeu a toda a região. Antibes, Cannes, Saint-Tropez, Monte Carlo - a Côte d'Azur passou a ser sinónimo de luxo.

Ao visitar Nice aproveite para descobrir esta cidade de um modo mais intimista, nas aldeias medievais que povoam as encostas junto aos Alpes, das quais destacamos Saint-Paul de Vence e Eze.

Há duas experiências obrigatórias na cidade: passear por Cours Saleya, uma rua onde todas as manhãs se realiza o mercado das flores, e comer socca, a maior das especialidades locais. São inúmeros os museus e as galerias, mas há três deles que sobressaem: o Museu Matisse, o Museu Marc Chagall e o Museu de Arte Moderna e Contemporâ­nea.

No topo de qualquer lista gastronómica está o Acchiardo (Rua Direita, 38), restaurante de uma família de origens italianas, que tem quase um século. Se não dispensa a tradicional ida às compras na viagem, à volta da rua Longcham estão algumas das melhores lojas de roupa da cidade.

Por sua vez, as galerias e os antiquários concentram-se sobretudo junto ao porto da cidade.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.