Os produtos estão normalmente marcados, escolhe-se o que se quer levar e coloca-se o dinheiro numa caixa. Muitas vezes a caixa até está aberta para que o cliente possa fazer o troco… É um ato de fé na humanidade.

Lojas sem vendedores e vigilância: será que funcionariam em Portugal?
créditos: Mundo Magno

Nos campos é muito frequente ver abóboras com o preço marcado, campos de flores com o preço por flor, pequenas barracas com ovos, queijo, mel, cidra e todos os legumes imagináveis e, tudo isto, repito, sem ninguém a vigiar e dependente apenas da confiança do vendedor de que o cliente vai ser honesto e pagar o preço marcado. Isto não existe em mais lado nenhum no mundo, pelo menos numa escala destas, e é de uma beleza poética esta quase certeza de que um estranho fará o que é certo, mesmo quando ninguém está a ver.

Lojas sem vendedores e vigilância: será que funcionariam em Portugal?
créditos: Mundo Magno

Dizem que estas lojas surgiram nas aldeias de montanha porque todos se conheciam e confiavam uns nos outros. Com o trabalho no campo e nas pastagens a ocupar grande parte do dia não havia tempo para estar numa lojinha ou quinta todo o dia a vender… Quando se vive na montanha, em condições meteorológicas muitas vezes agrestes e com o isolamento e difícil acesso aos vales, a confiança e entreajuda dos vizinhos pode ser a chave para a sobrevivência. E apesar de as coisas entretanto terem mudado, e os acessos serem mais fáceis, as lojinhas da honestidade continuam um pouco por todo o lado. Aliás, a mais antiga da Europa continua aberta na aldeia de Gimmelwald, nos Alpes suiços.

As nossas favoritas são as quintas de morangos e as cerejeiras onde apanhamos nós os morangos ou as cerejas, pesamos e pagamos sem qualquer presença ou intervenção dos donos da quinta.

Acham que era uma boa ideia para implementar em Portugal?

Acompanhe as nossas aventuras mais recentes no Instagram Mundo Magno

Artigo originalmente publicado no blogue Mundo Magno

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.