O Viaje Comigo foi o único site português presente no lançamento deste projeto que levou a Itália 100 jornalistas e bloggers de viagens de todo o mundo para fazerem os caminhos de São Francisco.

Embarquei na peregrinação da Via Amerina, no que é também chamado “Cammino della Luce”, datado do século III a.C e onde ainda permanecem muitas pedras seculares pelo caminho.

Durante uma semana, eu e o meu grupo, percorremos os caminhos de São Francisco de Assis (e que ele tantas vezes fez até Roma) por entre zonas muito rurais e vilas pitorescas. Existem ainda outros caminhos para fazer, à escolha dos peregrinos:

- Cammino Francescano della Marca / Via Lauretana (de Loreto a Assisi)

- Via di San Francesco (de La Verna a Assisi)

- Via Francigena del Nord (Norte) (de Lucca a Roma) e Via Francigena del Sud (Sul) (de Formia a Roma)

- e Cammino di Benedetto (de Norcia a Cassino)

Muitos dos troços do caminho que fizemos passam por estradas – cuidado com os carros! – mas muito do percurso releva cenários da ruralidade do centro de Itália, que a maior parte das pessoas desconhece.

O arranque foi dado em Assis, local de nascimento de São Francisco. Passando depois por diversas vilas que nos encantaram e sempre com o Monte Soratte no horizonte. Foi o caso de Amelia que é uma verdadeira pérola no centro do país. Tem um centro histórico muito bem preservado e mantém os seus monumentos seculares. Ficamos no hotel La Gabelletta para ficarmos a conhecer melhor o centro histórico de Amelia.

No dia seguinte partimos para mais alguns quilómetros de peregrinação – assim era todos os dias – em direção a Orte, outra cidade encantadora.

A história da Via Amerina perde-se no tempo, mas todos sabem da sua importância. Por aqui passaram, durante muitos séculos, todos os que faziam o caminho para Roma, incluindo os imperadores romanos.  E ainda vai encontrar alguns vestígios desses tempos, como as pedras desgastadas pelas rodas de carruagens, nos pedaços das estradas romanas que vai encontrar pelo caminho.

Em Orte é imprescindível conhecer toda uma cidade que existe debaixo das ruas. O Orte Underground revela toda uma história paralela, de uma comunidade que fez a vida em longos túneis, debaixo da atual cidade.

Pelo caminho vai ainda descobrir  Civita Castellana, onde ficamos instalados no Relais Falisco, um tradicional e clássico hotel, mesmo no centro, e jantamos no seu excelente restaurante.

O caminho de São Francisco continua por Corchiano, Faleria e Calcata, passando por Falerii Novi e Castel Sant'Eli.

Fizemos apenas uma passagem breve em Nepi, mas aconselho a que fiquem lá algum tempo, aproveitando para conhecer o Castelo dos Bórgia (Castelo de Nepi) e as catacumbas de Santa Savinilla.

Quando chegar a Roma, uma das vias franciscanas passa mesmo pelo meio da Reserva Natural “Insugherata”, com uma caminhada no Monte Mário, de onde se tem uma belíssima vista panorâmica sobre a cidade de Roma. Quando se faz a descida do monte, estamos mesmo no final do caminho que leva os peregrinos até ao Vaticano.

Pode saber mais sobre o projeto Italian Wonder Ways no Viaje Comigo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.