A viagem de Ho Chi Minh até Nha Trang é feita num autocarro durante cerca de 9 horas, mas por norma os autocarros aqui no Vietname são bem confortáveis para fazer viagens longas visto que têm camas que inclinam até 80%, portanto, a viagem faz-se bem, até porque está longe de ser a maior que já fiz. A paisagem durante a viagem vale a pena. É feita entre montanhas e campos verdejantes.

Para quem não sabe, os russos “apoderaram-se” de certas cidades costeiras no Vietname, principalmente destinos de praia. Portanto Nha Trang assim como Mui Ne ou Phu Quoc, uma ilha no sul do país, está repleta de turistas russos. A população local parece ter-se adaptado a este grande número de turistas Russos, pois muitos ligados ao negócio do turismo até trocam palavras em russo, além de que existem placas com informações traduzidas para russo e os menus dos restaurantes também. Para além dos russos, parece que também os chineses encontraram aqui um paraíso para as suas férias. Menus em chinês e grupos de chineses a passear nas ruas são comuns, mas estes já não são tão distintos da população local como os russos que se destacam pelo tom claro de cabelo e dos olhos e pela estatura.

Nha Trang tem uma praia ampla e é uma cidade com vários prédios que são maioritariamente hotéis. É, sem dúvida, uma cidade muito turística. Alguns até dizem que já não parece mais o Vietname, pois a cultura local perdeu-se, tal é o número de turistas a circular no centro de Nha Trang.

Mas, para além de uma praia ampla, Nha Trang tem várias ilhas bem próximas da cidade. Algumas ficam a apenas 10 minutos de distância de barco enquanto as mais longínquas podem ficar a mais de uma hora de viagem. Visitei algumas, mas hoje vou destacar a ilha Yen Sao ou Hon Cau.

Esta não é de todo uma ilha turística, o que faz dela um pequeno paraíso onde realmente se consegue relaxar. Nesta ilha em particular, só podem entrar o máximo de 100 turistas por dia. É uma ilha privada e apenas uma empresa tem serviços de transporte para lá. Só é possível visitar numa tour operada por apenas essa empresa.

A tour fica por cerca de 20€ e inclui o bilhete de ida e volta, uma sandes para o pequeno-almoço, o almoço na ilha e uma bebida que só encontrará por estes lados ou que será mais fácil encontrar por cá. O único barco que vai para a ilha com turistas parte às 7.30h e chega à ilha por cerca das 9h e retorna por volta da 14h da ilha. Não é possível pernoitar na ilha.

O destino são duas ilhas ligadas por areia que graças à sua posição apresentam cores de água diferentes e com temperaturas diferentes também. É uma particularidade especial desta ilha, tudo porque um dos lados da praia é banhado por águas do oceano e o outro lado não, o que faz com que a água do lado banhado pelo oceano seja mais fria do que a que está do outro lado oposto a uns metros de distância.

As ilhas são muitos pequenas e basicamente feitas de rocha, não há muito para explorar e existe um único restaurante que é onde todos os turistas almoçam juntos. No entanto, estas são das ilhas mais bonitas que vi no Vietname e não só. Do topo, temos uma vista paradisíaca com águas de vários tons de azul, digna de sonhos. Simplesmente deslumbrante!

Existe uma escadaria até ao topo da ilha que deixa ver o tal caminho de areia, e outra do lado oposto que também deixa ver vários tons de azul ao longe. Não é necessário subir muitos degraus para que a vista lá em baixo já seja arrebatadora, mas subo até ao ponto mais alto, onde se encontra um templo Budista. Fiz ambas as escadarias, já que nem são muito altas nem difíceis de fazer. Curiosamente os outros turistas pareceram-me unicamente interessados em ficar na praia deitados nas várias cadeiras providenciadas à sombra. Mais ninguém sobe as escadas ao mesmo tempo que eu, portanto, tenho uma vista desimpedida acompanhada pelos sons dos pássaros característicos da ilha que são o único impedimento para o silêncio reinar.

São pássaros que não vi nem ouvi em mais nenhum local e, provavelmente, não irei ver outra vez. Têm um canto distinto de todos os pássaros que já ouvi e são especiais. Estes são pássaros que fazem o seu ninho com a própria saliva. Ninhos esses que são atualmente uma das iguarias de origem animal mais caras. Os ninhos destes pássaros são colhidos pelo homem que os inclui na sua dieta. A tal bebida especial que falei no inicio tem como base estes ninhos e tem portanto um sabor que não sei identificar. É certamente algo diferente e que não provei antes. Tem pedaços pequenos de algo que sinto a cada gole, talvez sejam os ninhos mas não posso garantir já que ninguém nesta tour fala inglês. O guia falou única e exclusivamente em vietnamita e havia ainda um grupo de russos com o seu próprio guia.

Halong Bay: das paisagens mais bonitas no Vietname
Halong Bay: das paisagens mais bonitas no Vietname
Ver artigo

O barco não ia cheio. Neste dia éramos cerca de 50 pessoas naquela ilha, sendo assim, não havia pessoas em quem tropeçar na praia. Bem ao pé das duas ilhas ligadas pelo caminho de areia, existe uma outra que basicamente de rochas, e é aqui que os pássaros fazem o seu ninho numa gruta que pode ser visitada pelos turistas, mas não passa disso, de uma gruta mal cheirosa. Não podem limpar as fezes dos pássaros pois é assim que eles identificam o seu ninho e se estas forem limpas eles não regressam no próximo ano.

O almoço é servido em mesas tipo casamento. A comida é saborosa e em quantidades generosas. É um bom almoço com vários pratos vietnamitas apetitosos e cada um vai-se servindo como quer. A praia é lindíssima e ficar sentado numa das cadeira a apreciar a beleza natural em redor é gratificante. É o que faço depois do almoço.

Apesar de não ter muito mais para fazer a não ser apreciar a beleza natural em redor, esta ilha é um local super relaxado e muito bonito. Vale muito a pena a visita. É, sem dúvida, a ilha com a vista mais bonita que já visitei e não estava à espera de que a fosse encontrar no Vietname.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.