É impossível ficar indiferente ao cenário pintado por Klimt neste quadro. A tela foi criada entre 1907 e 1908, pertencendo à fase dourada do pintor, quando folhas de ouro foram usadas durante os seus trabalhos.

O quadro, que mede 180 cm por 180 cm, foi exibido ao público pela primeira vez em 1908 na Galeria Austríaca. Na altura, a pintura foi comprada pelo Museu do Palácio Belvedere, onde está, até hoje, em exibição. "O Beijo" foi, desde sempre, apreciado, tendo sido exposto e comprado antes mesmo de ter sido finalizado.

Além de ser uma das pinturas mais famosas e reproduzidas do mundo, "O Beijo" é, antes de mais, um símbolo da Áustria. Existem modedas comemorativas que assinalam este e outros trabalhos de Kilmt.

O Beijo

Interpretações antagónicas

Há quem veja um retrato perfeito da união e do amor entre o casal do quadro, há quem veja uma dominação da figura masculina sobre a figura feminina.

Existem diversas interpretações para "O Beijo" que, tal como outros trabalhos de Klimt, teve influências do famoso psicanalista Sigmund Freud, também austríaco e da mesma época do pintor.

O Beijo
Reprodução em Lego créditos: AFP

Quem são os dois amantes?

Alguns investigadores dizem que o quadro é um auto-retrato do pintor com o seu grande amor, a estilista Emilie Flöge.

Por outro lado, existe a tese de que a mulher do quadro pode ser uma das muitas musas que posavam para Klimt, como Adele Bloch-Bauer ou Red Hilda.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.