A exposição visa assinalar o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, que se celebra neste sábado.

O Palácio de Mateus, classificado como monumento nacional, é a principal atração turística de Vila Real.

Por causa da pandemia, a Casa de Mateus está encerrada ao público, mas mantém ativa a sua programação, através da página www.casademateus.pt e nas redes sociais.

A exposição, segundo explicou a Fundação Casa de Mateus, em comunicado, pretende “guiar os visitantes pelas transformações sucessivas dos jardins da Casa de Mateus e visa também celebrar os 150 anos de plantação dos dois cedros, árvores de grande porte que foram plantadas em frente à fachada da instituição.

Os cedros “que servem de ícone” ao palácio foram plantados em 1870, por D. José Luís, terceiro conde de Vila Real.

A exposição é, segundo a instituição, “um pretexto para conhecer os jardins mas também para homenagear Gonçalo Ribeiro Telles, arquiteto e autor do parque e do espelho de água, que nos anos 60 do século XX, transformaram a perceção da Casa de Mateus e da sua inscrição na paisagem”.

A imagem do espelho de água com a escultura em mármore de uma mulher, realizada por João Cutileiro, é das mais conhecidas desta instituição.

Ainda para celebrar o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, a Fundação da Casa de Mateus disponibiliza "online" um depoimento com Teresa Andresen, arquiteta, distinguida em 2020 com o Prémio Gonçalo Ribeiro Telles.

A instituição lembrou que abril é o “Mês da Terra” na programação da Fundação que, no dia 22, vai também assinalar o Dia Mundial da Terra e o Dia Europeu das Rotas dos Jardins Históricos (26 de abril).

Neste momento, está já a preparar a programação do mês de maio que será direcionada para a poesia.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.