James Lovell, diretor de uma agência de eventos com sede em Londres, tem um plano que, segundo ele, vai permitir que as crianças vivam o encontro mágico com o Pai Natal, seguindo as diretrizes rígidas de distanciamento social.

Enquanto outros aproveitam o verão e as praias, Lovell, que dirige a empresa Ministry of Fun, prepara a equipa de 50 pais Natal, como acontece todos os anos há um quarto de século.

Em 2019, a temporada foi excepcionalmente boa, com mil reservas, mas o que vai acontecer este ano?

"Normalmente, temos a maior parte das reservas feitas em agosto", explica à AFP, mas este ano "estamos pela metade".

"As pessoas não cancelaram, simplesmente não sabem o que podem fazer. Têm existido mensagens contraditórias sobre o que é permitido, há muita confusão", lamenta.

As lojas  e atrações turísticas de Londres, habituadas a receber as crianças e o Pai Natal, introduziram protocolos rígidos de gestão de multidões nas últimas semanas para conter a disseminação da COVID-19.

Para tranquilizar pais e proprietários de empresas, Lovell propõe equipar os pais Natal com máscaras de veludo vermelho e cabelo branco como parte de um traje que custa cerca de £ 1.000 (€ 1.100) e inclui barbas feitas à mão por especialistas em fantasias teatrais.

O Pai Natal e os pequenos visitantes serão separados por caixas de presentes, e os presentes serão entregues às crianças num trenó em miniatura, e não em mãos. Lovell considera essencial que a visita ao Pai Natal não se transforme em mais uma vítima da pandemia.

"Não podemos ter um Natal sem o Papai Noel", defende.

"Tem que fazer funcionar, é muito importante", acrescenta.

"Tem sido um ano terrível, e precisamos dessa felicidade", que o "Pai Natal nos traga magia", completou, insistindo: "Merecemos isso mais do que nunca".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.