O final de dezembro é uma das épocas mais festivas e agitadas do ano. Muitas pessoas escolhem esta altura para viajar e se reencontrarem com a família no Natal ou para gozarem a passagem de ano noutro destino.

Mas quais as probabilidades de ficar em terra no momento de embarcar no voo? Ou quais as rotas mais propícias a sofrer cancelamentos?

A AirHelp, organização mundial em direitos dos passageiros aéreos, examinou os voos em Portugal, entre 19 e 30 de dezembro de 2017 e 2018, para perceber o que os viajantes podem esperar. A análise mostra uma tendência de crescimento acentuado em termos de passageiros afetados por cancelamentos de voos: em 2017, foram cerca de 2400; em 2018, cerca de 6300. Ou seja, entre 2017 e 2018, houve um aumento de 163% de viajantes que não conseguiram embarcar conforme previsto.

Relativamente a passageiros que têm direito a receber compensações das companhias aéreas, não surpreende que tenha existido também um aumento significativo: no período de Natal de 2017, cerca de 4700 ficaram elegíveis, enquanto em 2018 foram mais de 7800.

De acordo com o regulamento europeu EC 261, atrasos superiores a três horas, cancelamentos e impedimentos de embarque podem dar direito a uma compensação de até 600 euros por passageiro. Para tal, a razão da perturbação deve ser causada pela companhia. O pedido de compensação pode ser submetido até três anos depois da data do voo.

As rotas de Natal mais problemáticas

Analisando o top 10 das rotas com maior número de passageiros afetados por cancelamentos de voos, no período de Natal de 2018, destacam-se pela negativa as ligações entre Porto e Lisboa, com cerca 720 pessoas afetadas, Lisboa e Londres, com mais de 560, Lisboa e Porto, com cerca de 540, e Madeira e Lisboa, com mais de 540.

As rotas de Natal mais problemáticas
créditos: AirHelp

O melhor e o pior período para viajar

Segundo os dados recolhidos pela AirHelp no Natal de 2018, sexta e quinta-feira foram os piores dias para viajar, com cerca de 2600 e 2000 passageiros afetados por cancelamentos, respetivamente. Por outro lado, segunda e terça-feira foram os dias menos problemáticos, com cerca de 70 e 0 viajantes afetados, respetivamente.

O pior horário para viajar foi o princípio da tarde – entre as 12h00 e as 15h59, com mais de 2200 pessoas a verem o seu voo cancelado. O horário entre as 22h00 e as 05h59 é o menos arriscado, com cerca 150 viajantes afetados.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.