Primeiro, foi a companhia área Singapore Airlines a anunciar os seus planos de realizar voos para "lugar nenhum". O objetivo era que os voos saíssem do Aeroporto de Changi onde aterrariam passado três horas. No entanto, os planos foram cancelados devido a preocupações ambientais. Agora, outro plano surgiu: o país vai a permitir "cruzeiros para lugar nenhum" a partir de novembro.

Os navios de cruzeiro não têm permissão para parar em Singapura desde o dia 13 de março devido à pandemia de coronavírus, no entanto, o governo aprovou a realização de cruzeiros para "lugar nenhum" a partir de novembro para tentar recuperar o sector turístico, fortemente afetado pela pandemia.

O Singapore Tourism Board emitiu novas diretrizes para cruzeiros através do seu programa de certificação CruiseSafe, que exige que as embarcações naveguem com 50% da capacidade ou menos e façam uma viagem de ida e volta, sem fazer qualquer paragem em portos durante a viagem. Todos os passageiros e funcionários terão de usar máscara e o teste à COVID-19 será obrigatório.

A Genting Cruise Lines e Royal Caribbean International irão participar no programa piloto, sendo que o World Dream da Genting Cruise Lines irá partir a 6 de novembro, e o Quantum of the Seas da Royal Caribbean International será lançado em dezembro.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.