No British Museum , afirmou Fischer, "continuaremos a explorar a nossa história e o faremos em colaboração com pessoas de todo o mundo para reescrever como iguais a nossa história compartilhada, complicada e, às vezes, muito dolorosa".

Apesar de tudo, "continuamos a reconhecer a visão radical de Sloane de dar acesso público universal e gratuito à coleção do museu e o benefício público gerado através do Museu Britânico".

Médico nascido na Irlanda em 1660 e que morreu em Londres em 1753, Sloane utilizou a fortuna da esposa, a rica viúva do proprietário de uma plantação de açúcar na Jamaica, para reunir a coleção de história natural que constituiu a base do Museu Britânico.

Outros objetos da coleção também serão contextualizados.

"Queremos colocá-lo num contexto mais amplo, que é obviamente um contexto muito difícil", o da "exploração" realizada pelo Império Britânico, afirmou Neal Spencer, um curador da instituição, ao jornal Daily Telegraph.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.