De carro até ao Peso da Régua

A opção por ir de carro até à Régua foi pensada com pormenor. Queríamos adentrar o Douro Vinhateiro e deliciarmo-nos com as suas paisagens panorâmicas que foram classificadas, em 2001, como Património de Humanidade UNESCO. Uma comunhão perfeita da natureza com a ação humana. O que vemos? Socalcos de vinha que ladeiam o rio e que produzem um dos vinhos mais conhecidos do mundo. O vinho do Porto. E todos os outros vinhos do Douro que fazem furor em qualquer festa de Baco. Pare nos vários miradouros que vão aparecendo e aprecie esta vista única.

Miradouro do Imaginário, Mesão Frio
Miradouro do Imaginário, Mesão Frio créditos: Ir em Viagem

Chegando ao destino, visite a cidade ribeirinha da Régua. Como negar a visita ao maior entreposto de comércio e transporte do Vinho do Porto? Em Portugal, vinho é cultura! Mas não se perca nas horas, há um comboio para apanhar!

“All aboard!”: da Régua ao Pocinho de comboio

Na Estação da Régua apanhamos o comboio até ao Pocinho, que é uma estação terminal, e que permite percorrer uma parte da Linha do Douro que foi inaugurada em 1887 e tem uma extensão de 160 quilómetros. A linha segue o vale do rio Douro o que a torna numa das mais belas de Portugal e com fortes potencialidades turísticas.

Linha do Douro
Linha do Douro créditos: Ir em Viagem

1h40 de viagem que passou num abrir e fechar de olhos. Todos/as querem o lugar à janela que tem vista rio. Do outro lado, só se sentam as pessoas da terra que conhecem aquela vista como a palma das suas mãos enrugadas do tempo. Lá dentro são mais os turistas do que os autóctones, mas é por eles que ouvimos as histórias de quando a Linha do Douro era cheia de gente.

"Quando me casei este comboio ia até Barca d'Alva", contava-nos uma senhora mais velha que viajava ao nosso lado.

O dia estava morno. Abrimos as janelas e pusemos a cabeça de fora, afinal é (lá) fora que o mundo passa.

Sabiam que o comboio beira tanto o rio que parece querer beijá-lo? Um rio que serpenteia a terra e que deixa que o céu, vaidoso, se espelhe. Depois da Estação do Tua, a paisagem vai mudando e o rio como que se adelgaça… ficamos sem saber se é ele que se estreita ou se são as margens que o comprimem. Da encosta verde e socalcada, passamos a paisagens mais agrestes, rochosas e acastanhadas. Belas à sua maneira.

Chegamos à estação final. Pocinho. Estamos no km 171, 913. A partir dali a linha está desativada.

Se quisermos regressar no mesmo dia, temos duas hipóteses: ou apanhamos o mesmo comboio que pára cerca de 30 minutos na estação do Pocinho, ou esperamos pelo próximo comboio que nos permite uma estadia de mais ou menos 4 horas. Se optar por esta última, explore os trilhos e a ponte de ferro, ambas desativadas. Atenção ao sinal "Proibido passar"! A ponte de ferro, melancólica e sozinha, está lá a forçar diálogos entre margens. Desde que construíram a barragem, o rio já não lhe faz festa(s).

Estação terminal do Pocinho
Estação terminal do Pocinho créditos: Ir em Viagem

Está na hora de regressar e temos de apressar o passo para não perder a "boleia". O comboio não espera por ninguém. Fitamos o horizonte, campesino e acastanhado, e quase jurava que dali a uns minutos poderia passar um cowboy a galope, não fosse o cenário tão parecido com o faroeste.

No Douro, bebe um douro

De regresso à Régua, procure um local onde possa saborear e degustar um bom copo de vinho ou fazer uma prova de vinhos numa das muitas quintas renomadas que disponibilizam tours às suas caves e adegas. Não lhe faltam opções. Sugerimos uma passagem pelo Cais de Mercadorias da Refer, que preserva a construção original, mas com um traço elegante, tanto quanto os restaurantes que o compõem. Espaços com "rótulo de marca" onde o melhor da região é servido à mesa (e no copo).

Peso da Régua
Peso da Régua créditos: Ir em Viagem

Mira (o) douro

O Douro é tão lindo que até a palavra miradouro parece ter sido feita para ele. A poucos quilómetros da Régua, por uma estrada curvilínea, chegamos a São Leonardo da Galafura que, dos seus 630 metros de altitude, nos oferece uma das vistas mais bonitas do rio e da região. Na fotografia não se sente o bem que se respira lá em cima ou o silêncio que "nem o rio se atreve a quebrar". Tire as fotografias todas, mas depois sente-se por lá e contemple este "excesso de natureza".

Miradouro São Leonardo da Galafura
créditos: Ir em Viagem

E assim se passou um dia. Regressamos a casa de coração cheio e conquistados por este Douro que é ouro.

Artigo originalmente publicado no blogue Ir em Viagem

 Para mais dicas e sugestões de viagem visite o blogue Ir em Viagem e siga-me no Instagram e no Facebook

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.