1º dia: Cascatas e Piscinas Naturais de Cortes do Meio | Covilhã | Miradouro da Varanda do Carqueijais | Penhas da Saúde

Se és fã de piscinas naturais, então tens mesmo de conhecer Cortes do Meio. É até mesmo considerada a Capital das Piscinas Naturais em Portugal. A apenas 15 quilómetros está a Covilhã, é a principal porta de entrada para a Serra da Estrela, por isso, não a podíamos deixar de visitar.

O Miradouro da Varanda dos Carqueijais foi inaugurado apenas em outubro de 2020 e está a tornar-se um dos pontos mais populares da Serra da Estrela. Localiza-se à beira da estrada que liga a Covilhã às Penhas da Saúde, em plena subida para a Serra da Estrela.

Finalizamos o primeiro dia do roteiro em pleno coração da Serra da Estrela. Na nossa opinião, as Penhas da Saúde é o melhor local para dormir numa viagem à Serra da Estrela.

2º dia: Poço do Inferno | Vale Glaciar do Zêzere | Covão D’Ametade | Miradouro dos Piornos | Nossa Senhora da Boa Estrela | Torre

É no concelho de Manteigas que fica localizado o Poço do Inferno. Esta queda de água tem cerca de 10 metros de altura e, para a ver, basta subir uma escadaria, junto à estrada principal.

Seguimos para o Vale Glaciar do Zêzere, que tem 13 quilómetros de extensão, o que faz dele um dos maiores da Europa. Esta atração em céu aberto e com formato em “U” é um dos grandes exemplos da Era Glacial no velho continente europeu. Um dos nossos locais favoritos foi o Covão d’Ametade, a estrela do Vale Glaciar do Zêzere. Este é sem dúvida um dos lugares mais emblemáticos e que não podes mesmo perder num roteiro pela Serra da Estrela.

Recomendamos passarem no Miradouro dos Piornos, isto porque é o mais recente miradouro da Serra da Estrela e ainda pouco conhecido. A vista é para os planaltos da Nave de Santo António.

Por fim, nao podem deixar de passar nos locais mais populares da Serra da Estrela, a Nossa Senhora da Boa Estrela e a Torre.

3º dia: Lagoa Comprida | Covão dos Conchos | Vale do Rossim | Seia

A Barragem da Lagoa Comprida situa-se já no concelho de Seia e foi o nosso ponto de partida para a caminhada até ao Covão dos Conchos.

Decidimos matar a curiosidade e fazer o trilho de 10 quilómetros (cinco quilómetros para cada lado), até ao Covão dos Conchos. A exigência da caminhada é média e o percurso não está sinalizado. Quanto à atração em sim, o primeiro impacto é de facto surpreendente, mas fica-se por aí. Existe sinalização para não entrar na água, pois é perigoso.

O Vale do Rossim é a praia mais alta de Portugal Continental. Apesar das estradas de acesso ao Vale Rossim estarem em péssimas condições, cheias de buracos e perfeitas para furar pneus, vale a pena a visita no verão.

Terminamos o dia em Seia, porque comparativamente às restantes cidades na Serra da Estrela, esta é a que apresenta a maior variedade de oferta turística. Museus, praias fluviais, aqui há muito para ver.

Para mais pormenores sobre o que fazer, quando visitar, dicas e restaurantes, lê o artigo completo aqui.

Acompanha as nossas aventuras no Instagram, por lá temos os destaques da viagem pela Serra da Estrela.  

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.