Quando pensamos em fazer uma viagem, talvez uma das primeiras coisas que nos vem à cabeça é: para onde ir? Obviamente que o preço da viagem e da estadia nos sítios é um ponto crucial mas como é que decidimos para onde marcar avião? Depois do gosto pessoal de cada um, há factos e realidades que devem ser considerados e, mais do que escolher um destes três destinos, vamos dar-lhe a conhecer as vantagens e as desvantagens de viajar em cada um… Depois de ler, só tem de decidir o que está mais de acordo com os seus gostos e objetivos pessoais.

Ásia – Uma viagem colorida e cheia de histórias!

Este foi o primeiro continente que escolhemos para iniciarmos o nosso novo estilo de vida, enquanto nómadas digitais. Se ainda não está familiarizado com este conceito, deixe-nos desmistificar o mesmo. Nómada digital é aquele que, por trabalhar de forma remota, online, pode viajar a tempo inteiro. Portanto, Ásia foi a nossa primeira escolha e acabámos por viver neste continente durante 8 meses. 2 meses na Índia, 2 meses na Tailândia, 3 meses na Malásia e 1 mês em Bali. Um percurso que pode parecer convencional, mas que, mesmo assim, ainda nos permitiu conhecer e visitar paraísos com pouco turismo. Por todo este tempo, vivência e intensidade, hoje em dia sentimos que fazemos um pouco parte destes sítios, ou melhor, que eles fazem parte de nós! É impossível não esboçarmos um sorriso quando falamos deste continente tão cheio de cores, de cheiros e de sabores.

Ilha de Phuket na Tailândia
Ilha de Phuket na Tailândia créditos: TravelB4Settle

Na Ásia, há sempre coisas novas para fazer e para descobrir. Tudo é diferente e é um continente em que é muito fácil de viajar. É um continente em que é tudo muito barato (na maioria dos países), desde as estadias à comida (obviamente, se procurar preços mais em conta) e a culinária é impossível de esquecer. Os pad-thais da Tailândia, os caris da Índia, a mistura de vegetais com arroz/massa da Malásia e, ainda, as taças de fruta de Bali…

E o melhor de tudo é que cada país nos deixou com histórias maravilhosas para contar! Desde nos perdermos na selva no destino mais paradisíaco que tivemos, as Ilhas Perhentian na Malásia, a celebrar três vezes a passagem de ano na mesma viagem, ou a ser mordido por um macaco na Índia, as histórias não faltam. Somos suspeitos quando nos pedem conselhos sobre estes países ou este continente, a resposta é sempre a mesma: vão!

Ilha de Langkawi na Malásia
Ilha de Langkawi na Malásia créditos: TravelB4Settle

Se tivermos mesmo que pensar em desvantagens… É um sítio longe, que envolve algumas horas de voo e em que devemos estar, pelo menos, 15 dias, para aproveitar ao máximo. Há um grande choque cultural e deve ter em conta isso; todos somos diferentes, é certo, mas todos estas nacionalidades têm diferentes culturas, religiões, idiomas, etc. (não só connosco, mas entre cada país). Outro aspeto que não nos dificultou em nada, mas que pode ser difícil para alguns, é o facto de alguns destes povos terem dificuldades no inglês, mas na maioria destes locais não vai ter este problema.

Se procura algo diferente de tudo o que está habituado, novos sabores, cores, cheiros, tradições, novas aventuras… A Ásia deve ser o seu próximo destino!

Matilde e Miguel num casamento indiano
Matilde e Miguel num casamento indiano créditos: TravelB4Settle

Europa – Uma viagem sem fronteiras e cheia de surpresas!

Quem nunca foi até Espanha ou um fim de semana a Paris? A Europa é um dos destinos que mais viajantes acolhe ou, pelo menos, mais viajantes portugueses. Primeiro porque é muito perto deste nosso pequeno país, o que leva a que a viagem de avião seja sempre mais rápida e, depois, porque os preços dos voos são sempre mais em conta, principalmente para quem tem apenas tempo de viajar por poucos dias.

Viajar pela Europa é, sem dúvida, uma coisa que todos devemos fazer; porque apesar de quase todos os países serem desenvolvidos, tal como o nosso, há sempre coisas novas a descobrir e muita cultura e história a apreender.

Em Varsóvia na Polónia
Em Varsóvia na Polónia créditos: TravelB4Settle

Esta é a opção ideal para quem quer fazer uma escapadinha ou para quem não quer gastar muito dinheiro, mas atenção: o custo de vida na Europa é igual ou ainda mais caro que o nosso e em nada tem a ver com os preços praticados na Ásia ou na América do Sul, e isso certamente poderá ser uma desvantagem porque para conhecer alguma coisa, num país da Europa, é preciso (quase sempre) pagar.

A nossa experiência na Europa foi o que nos levou a querer conhecer o resto do mundo e, talvez por isso, também recomendamos que também comece pela Europa, caso tenha, como nós, o objetivo de visitar todos os continentes. A nossa viagem pela Europa não só nos fez querer conhecer mais do mundo e de outras culturas, como também nos fez perceber que tipo de viajantes somos. Ou seja, quando há cinco anos andávamos de um país para o outro a cada 3/4 dias em pleno interail, percebemos que tudo o que queríamos era ficar mais tempo em cada sítio, que queríamos realmente viver aquelas tradições e não só espreitar.

Atualmente, tentamos ficar no mínimo 1 mês por sítio, mas claro percebemos que não é fazível para a maioria das pessoas. Por isso, se decidires optar pela Europa e tens pouco tempo sugerimos-te duas opções: a primeira tem de ser o famoso interail, onde descobres tanto e a aventura está ao rubro (se tiveres 18 anos, talvez ainda vás à borla); se queres algo mais calmo, mas também diferente, aconselhamos que vás de avião a 3/4 destinos completamente diferentes. Os nossos favoritos são: Polónia, Escócia, Holanda e Croácia. Todos na Europa e todos perto de nós, mas cada um mais diferente do que o outro.

Viajar
créditos: TravelB4Settle

América – Uma viagem apaixonante e cheia de alegria!

O continente Americano é, talvez, o continente mais distinto entre as suas partes (Canadá/Estados Unidos da América, América Central e América do Sul). Se, de alguma forma está indeciso/a entre os três continentes que hoje falamos aqui, é porque, de certa forma, procura uma experiência cultural. Por isso, vamos focar-nos na América do Sul, um destino rico em cultura, que já conhecemos e podemos recomendar.

Na América do Sul ainda é possível vermos muita influência espanhola e, para além dos paraísos que este sítio nos oferece, há duas vantagens muito grandes a ter em conta: (1) a língua espanhola é a língua oficial e, portanto, tudo se torna mais fácil, quer para os locais, quer para nós, turistas (portugueses); e (2) o ambiente e as pessoas são tão diferentes (mas ao mesmo tempo tão semelhantes) de nós que temos mesmo de os conhecer. Já imaginou entrar numa loja e estar tudo a dançar ou andar no meio da rua e estar tudo a sorrir, a brincar, a cantar? Pois é, esta é a realidade de um povo que de riqueza monetária tem pouco; mas de riqueza espiritual e cultural tem muito.

E depois há ainda outra coisa que nos deixa ainda mais maravilhados, o facto de existirem ainda povos indígenas por ali… E ter a oportunidade de conhecê-los e perceber a dinâmica de vida é “ouro sobre azul”.

Matilde e Miguel com 2 crianças locais no bairro comuna 13 em Medellín, Colômbia
Matilde e Miguel com 2 crianças locais no bairro Comuna 13 em Medellín, Colômbia créditos: TravelB4Settle

Nós tivemos o prazer de explorar esta zona do mapa este ano de 2019 e não poderíamos ter gostado mais! Iniciamos a nossa viagem na Colômbia e, mesmo que sempre sem planos, mal imaginávamos nós que iríamos acabar por ficar 4 meses neste país tão feliz! Sim, a Colômbia definida numa palavra é isto mesmo, feliz. A música e dança fazem parte deste povo 24 horas por dia, por isso eles não levam a vida como a maioria do resto do mundo, de uma forma tão séria. Neste país tivemos oportunidade de não só ficar rendidos ao povo, como também a cada local que passávamos. Desde as praias mais paradisíacas à Amazónia Colombiana que foi sem dúvida a experiência das nossas vidas. As descobertas foram muitas e por isso escrevemos este Guia completo de viagem para a Colômbia [2019], com muitas dicas práticas e conselhos para preparar a sua viagem.

Também nesta viagem tivemos o prazer de conhecer o Ecuador e, mesmo com a desvantagem de termos apanhado este país no Inverno, conhecer mais culturas indígenas, nomeadamente o povo Quechua, foi também uma experiência inesquecível.

Matilde e Miguel no Parque Tayrona em Santa Marta, Colômbia
Matilde e Miguel no Parque Tayrona em Santa Marta, Colômbia créditos: TravelB4Settle

As desvantagens que encontramos neste sítio prendem-se com a instabilidade política que existe em alguns países e a pobreza associada. Consequentemente, há algumas zonas mais perigosas, principalmente à noite, e conseguimos sentir isso. Mas… se gosta de aventura, de alegria, de dança e boa disposição e de conhecer novas culturas, a América do Sul é o local para onde deve seguir viagem.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.