Para ser uma verdadeiro viajante não precisa de já ter dado a volta ao mundo. Conta o espírito aventureiro, a mente aberta, a vontade de conhecer novas culturas, colecionar experiências e explorar novos lugares. Enquadra-se neste perfil?

Para perceber se é um verdadeiro viajante veja as 15 coisas que qualquer viajante já fez da lista elaborada pelo site The Culture Trip.

Será que seria capaz de também o fazer? Se já as tiver feito, considere-se um verdadeiro viajante.  Mas se ainda só fez algumas, está no caminho para se tornar num.

15 coisas que só os verdadeiros viajantes já fizeram

Passar a noite a viajar num autocarro, comboio ou avião

Alguns dos lugares mais maravilhosos do mundo não fáceis de chegar. É por isso que, muitas das vezes, viajar à noite é a forma mais eficaz ou a única forma de chegar ao destino. Um verdadeiro viajante não desistirá de um lugar por ter de passar a noite a caminho do seu destino, mesmo que a viagem seja considerada desconfortável por quem já a fez.

Atravessar uma fronteira a pé

Atravessar uma fronteira a pé, é diferente do que o fazer via transporte aéreo, especialmente as fronteiras entre países subdesenvolvidos. O The Culture Trip exemplifica com as fronteiras entre Costa Rica e Panamá e Nicarágua e Costa Rica. De acordo com esta fonte, atravessar estas fronteiras exige paciência, habilidade para não fazer perguntas sobre o misterioso sistema e de “escapar” do grupo de pessoas que lhe vai tentar vender o formulário de imigração (que são gratuitos) ou daqueles que insistem em ajudá-lo ao mostrarem-lhe caminho para o seu táxi. Um viajante verdadeiro sabe que tudo é apenas  parte da aventura.

Viajar sozinho

Um verdadeiro viajante não vai deixar de ir apenas por falta de companhia. Há algo especial em viajar sozinho que só quem já o fez compreenderá.

Saber cumprimentar e agradecer em diferentes idiomas

Pôr a língua de fora ou cheirar o pescoço. Como se cumprimentam as pessoas pelo mundo
Pôr a língua de fora ou cheirar o pescoço. Como se cumprimentam as pessoas pelo mundo
Ver artigo

Saber expressar-se em diferentes idiomas é uma das maiores recompensas que um verdadeiro viajante pode ter. A melhor coisa que pode fazer quando viaja para um lugar que não sabe a língua nativa é aprender no mínimo a dizer olá, adeus e obrigado. Os nativos irão ficar felizes e os verdadeiros viajantes sabem isso.

Recorrer a gestos para comunicar com os outros

Um verdadeiro viajante já teve, com certeza, que recorrer à comunicação gestual para comunicar num país desconhecido em que não falava o idioma. O viajante terá se expressado através de gestos, expressões faciais exageradas e por aí…

Ter um telemóvel desbloqueado e uma coleção de cartões SIM

Por esta altura, um verdadeiro viajante já percebeu a importância de ter um telemóvel desbloqueado e como é melhor ter um número de telemóvel e um plano de internet local. O verdadeiro viajante sabe que é mais prático adquirir um cartão SIM local do que depender do WIFI gratuito.

Defender fervorosamente um país que já tenha visitado

Um verdadeiro viajante já terá entendido que a maioria das pessoas - quer viajem ou não-  tendem a assumir como verdade aquilo que ouvem sobre um determinado lugar mesmo sem o terem visitado. Quem nunca ouviu alguém dizer algo como: “esse lugar é tão perigosos”; “as pessoas aí odeiam turistas de... “ ou “vais ser raptado, assaltado ou apanhar alguma doença…”? Se os comentários forem em relação a algum país que o verdadeiro viajante já visitou, é provável que o defenda até ao fim, afinal, a sua experiência mostra que essas assumpções são falsas.

Acreditar que existem mais pessoas boas no mundo do que más

As notícias e as pessoas “terríveis” que, por vezes, fazem as manchetes do mundo da informação, contribuem para que fiquemos com medo do mundo lá fora. Mas o verdadeiro viajante sabe que o mundo não é perigoso nem assustador. “As pessoas más” são uma minoria. O resto das pessoas do mundo procuram o mesmo que as pessoas no lugar onde chama “casa”. Assim o resto das pessoas do mundo trabalha para ter uma vida digna, com segurança e em paz.

Perder de vista a terra

Andre Gide, escritor francês, escreveu um dia: “o homem não pode descobrir novos oceanos sem ter a coragem de perder a terra de vista”. De um ponto de vista filosófico, sugere que precisamos de sair da nossa zona de conforto para conseguirmos descobrir o mundo dentro e fora de nós. Isto é algo que um verdadeiro viajante entenderá, da mesma forma que já terá, literalmente, perdido vista da costa durante uma aventura no mar, por exemplo.

Passar a noite numa “tenda de índio” (teepee), tenda ou camião?

No fundo a pergunta que se coloca é se já dormiu em qualquer outro lugar que não seja um hotel, hostel ou casa, durante uma viagem. Um verdadeiro viajante com certeza que sim…

Assistir a um fenómeno natural

Um verdadeiro viajante procura e encontra os milagres escondidos da natureza. Existem vários à volta do mundo que um verdadeiro viajante quererá testemunhar como as famosas Luzes do Norte, as auroras boreais.

Observar algo grandioso

Gronelândia: uma viagem a um dos lugares mais inóspitos e incríveis do planeta
Gronelândia: uma viagem a um dos lugares mais inóspitos e incríveis do planeta
Ver artigo

Um verdadeiro viajante já se sentiu pequeno perante algo gigantesco. Poderá já ter sido surpreendido por uma baleia azul, uma árvore gigante ou ter ficado maravilhado pela intrigante construção das pirâmides egípcias.

Participar ou assistir numa cerimónia tradicional, ritual ou festival

Existem inúmeras celebrações, rituais e festivais durante todo o ano pelo mundo. Assistir ou participar em eventos ou práticas tradicionais no país que está a visitar é uma forma de mudar de “shift”. Os verdadeiro viajantes querem conhecer e participar em celebrações ou eventos tradicionais como o Festival das Luzes na Índia, o Carnaval do Brasil e A Tomatina em Espanha, por exemplo.

Procurar sabores que recordem os lugares que visitou

Da mesma maneira que não há melhor do que “a comida da nossa mãe”, comer pasta caseira em Itália, paella em Espanha, macrons em França, gallo pinto na Costa Rica ou pho no Vietname, é com certeza melhor do que nos restaurantes de comida internacional da nossa cidade. Após provar estes pratos com os produtos originais, frescos, o verdadeiro viajante terá saudades e procurará restaurantes autênticos na rua área ou tentará recrear os pratos em casa.

Adotar práticas aprendidas em viagens no dia a dia

Depois de passar tempo em outras culturas e de abraçar formas diferentes de viver, os verdadeiros viajantes vão incorporar práticas que trazem sentido ou benefícios para o seu dia a dia em casa. Isto pode incluir coisas como meditação pela manhã, praticar yoga diariamente, tomar chá mate à tarde ou talvez comer queijo com um copo de vinho depois do jantar, mas antes da sobremesa, como os franceses.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.