Estávamos os dois repletos de energia e expectativas para começar a Rota Vicentina, porém os primeiros oito quilómetros foram um verdadeiro martírio. Porquê? Foram oito quilómetros em alcatrão e paisagem zero. Sigam o nosso conselho e comecem o percurso na conhecida praia de água quente de São Torpes, pois a partir daí as vistas prometem ser maravilhosas.

Conseguem imaginar o que são mais de 200 quilómetros de costa, pelo Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina? Optámos por fazer o Trilho dos Pescadores porque queríamos conhecer todas as praias, desde as mais famosas até às secretas - que assim vão continuar. Só os mais atrevidos, como nós, é que as conhecem.

Se as queres descobrir já sabes, é fácil, põe uma mochila às costas e explora.

Este percurso está muito bem assinalado com as cores da rota vicentina (azul e verde), que nos guiam ao longo de todo o caminho.

Quem também nos acompanhou durante estes mais de 200 quilómetros foi a areia, houve etapas que já não podíamos mais com ela, a cada passo que se enterrava o pé, só desejávamos chegar ao destino.

É um percurso de 13 etapas que vai desde S. Torpes a Lagos, porém nós fizemos as 10 etapas até Sagres. Demoramos 12 dias porque a Marta celebrou o seu 25º aniversário e teve direito a dois dias de festa. Foi um merecido descanso após a etapa de Porto Covo a Vila Nova de Milfontes, conhecida por ser a mais difícil, pois maioria é areia!

Durante as etapas vão-se descobrindo alguns truques que nos salvam quilómetros não desejados, como por exemplo atravessar de barco o Rio Mira em Milfontes, onde nos safamos 5 quilómetros em alcatrão ou por exemplo em esperar pela maré baixa em Odeceixe e passar a ribeira de Seixe a pé.

Estas são umas boas dicas porém nós inventámos, por vezes, em demasia e demos por nós a subir e descer as “montanhas” de Aljezur. Não recomendamos, fizemos isto pois não queríamos perder nenhuma praia secreta e o caminho, por vezes, saía da costa em direção às vilas.

Foram no total 15 dias de viagem que acabaram em Mértola com um merecido descanso no Alentejo Star Hotel, situado ao lado da praia fluvial da Tapada Grande e das Minas de S. Domingos.

Por mais que eu escreva, só experienciando este trilho é que vais perceber a grandiosidade das arribas e a beleza natural que temos no nosso cantinho plantado à beira-mar.

Aqui deixamos-te um cheirinho:

Por onde andam a Marta e o João?

Quando dois amantes de aventura que, habitualmente, percorrem o mundo à boleia ou em busca dos maiores desafios se juntam para desvendar Portugal o resultado só pode ser espantoso. Siga aqui as viagens da Marta e do João.

*Esta viagem foi patrocinada pela Rede Expressos 

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.