Situada a cerca de 10 km de Ferreira do Zêzere, numa enseada da Albufeira do Castelo do Bode, é uma das vilas mais interessantes do centro de Portugal, quer pela sua história e localização, quer pelas vistas e pelo casario pitoresco, como pelas lendas e tradições que lhe estão associadas.

Se procura um lugar para relaxar e fugir um pouco da agitação e do stress diário da cidade, um passeio pelo Dornes pode ser uma boa opção.

É um prazer passear por esta vila. Pequena e com atmosfera tranquila, Dornes possui uma bonita igreja e uma imponente e incomum torre pentagonal, que foi mandada construir pelos Cavaleiros Templários, para servir de vigia e bastião defensivo da região durante a reconquista cristã. No século XVI, um período mais pacífico, foi adaptada e transformou-se na torre do sino da igreja matriz vizinha.

A torre está fechada e não pode ser visitada mas é possível subir os degraus exteriores e apreciar a vista.

Dornes. Ainda há recantos e segredos para descobrir na mítica terra dos Templários
créditos: The Travellight World

Das lendas da terra, merece destaque a lenda de Nossa Senhora do Pranto de Dornes, padroeira da Vila.

Conta-se que Guilherme de Pavia, feitor da Rainha Santa Isabel, perseguia um veado na Serra Vermelha quando ouviu um triste choro. Mas por mais que procurasse não conseguia encontrar de onde vinham tais gemidos.

Resolveu então ir contar a novidade à Rainha Santa e para o seu espanto, esta não só sabia o motivo da viagem, como o local exato onde procurar a origem dos estranhos sons.

A origem era uma imagem da Senhora do Pranto, com o filho ao colo, que tinha aparecido no rio e tinha sido recolhida numa pequena ermida na serra.

O estranho é que a imagem desaparecia sistematicamente para aparecer do outro lado do Zêzere. Os moradores de Cernache iam buscá-la mas, durante o trajecto, esta desaparecia para voltar para a outra margem do rio.

A Rainha Santa mandou então erguer uma nova igreja em Dornes para abrigar a imagem. A Nossa Senhora do Pranto lá ficou para sempre, e lá continua até hoje a ser venerada por fiéis de uma e de outra margem do rio.

Quando descemos até às margens do rio Zêzere, o calor aumenta mas a tranquilidade também.

Dornes. Ainda há recantos e segredos para descobrir na mítica terra dos Templários
créditos: The Travellight World

Para além do chilrear dos pássaros não se ouve mais nada. O silêncio é total. É tão bom, tão agradável...

Talvez no verão, quando muita gente vai passar férias para aqueles lados não seja assim mas em épocas baixas é um sossego.

No entanto, mesmo com muita gente vale a pena ir. Há muitos sítios por onde passear, trilhas para percorrer, e muitos  desportos náuticos para praticar. Há um clube naval perto que aluga barcos e material desportivo.

Há também uma boa oferta de casas para arrendar a preços bastante acessíveis. É um belo destino para uma escapadinha de fim de semana.

Para quem não conhece, eis as indicações de como chegar a Ferreira do Zêzere e a Dornes:

Para chegar a Ferreira do Zêzere vindo de Lisboa, devem usar a A1 saindo no nó de Torres Novas para a A23, depois a saída para Tomar apanhando o IC3 em direcção a Coimbra até encontrar a saída para Ferreira do Zêzere (variante N238). A partir daí sigam as placas que indicam Dornes (são cerca de 5Km).

Vindo do Porto, devem circular na A1 para sair em Condeixa apanhando o IC3 no sentido Tomar. Sai-se para a localidade de Cabaços e dentro desta seguir destino na estrada que irá conduzir a Ferreira do Zêzere.

Ao entrar no centro de Ferreira do Zêzere, encontram, de imediato, junto à primeira rotunda, indicações para Dornes.

Sigam as minhas aventuras mais recentes no Instagram e no Facebook

Artigo originalmente publicado no blogue The Travellight World

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.