A cascata de São Julião, no concelho de Portalegre, rompe no meio de uma encosta e e o curso de água, pouco depois, fica encoberto pelas árvores.

Cascata de S. Julião
créditos: andarilho.pt

O rio Xévora segue escondido num vale onde pouco se dá pela intervenção humana.

O ambiente, as cores e os sons remetem-nos para um total isolamento no fundo do vale.

Cascata de S. Julião
créditos: andarilho.pt

A cascata “é bonita, acessível e tem um poço de água. Agora está a ser construída a Rota das Cascatas na Freguesia de São Julião e esperamos ter lá mais gente a visitá-la. Em todo o ano tem uma boa queda de água para se poder visitar."

Cascata de S. Julião
créditos: andarilho.pt

Continuando a descrição de Helena Pires, que vive em São Julião, a vegetação densa e alta encobre a cascata. Para se ver na globalidade temos de subir algumas pedras ou molhar os pés.

Cascata de S. Julião
créditos: andarilho.pt

Tomar banho também pode ser, mas é mais difícil porque o poço de água não é grande. “Há pessoas que tomam banho, outras não. Mas sempre dá para molhar um bocadinho.”

Cascata de S. Julião
créditos: andarilho.pt

Outra visão interessante da cascata é no alto da encosta. Um muro de xisto protege os incautos e temos uma visão de conjunto que nos oferece uma melhor perceção da grandeza da queda de água.

Cascata de S. Julião
créditos: andarilho.pt

O rio Xévora surge escondido entre denso arvoredo, numa passagem estreita que lentamente a água foi abrindo na encosta. Mas, depois, a serra preparou-lhe uma armadilha, uma queda a pique. O branco da espuma sobressai entre as rochas escuras e envolvidas pelo verde da vegetação.

Não admira que o seu encanto seduza muitos visitantes. “Sim, e depois da pandemia há mais gente. Por outro lado, melhoraram os acessos e as cascatas também estão a ser mais divulgadas.”

Cascata de S. Julião
créditos: andarilho.pt

O acesso é feito pela aldeia Monte Sete (é outra designação da cascata). À entrada da aldeia, próximo do café a Cascata, encontra um desvio onde está escrito “cascata” no asfalto. Depois passa a terra batida. Metade do caminho é feito a pé.

Cascata de S. Julião
créditos: andarilho.pt

No regresso guarde energia para a subida. Não é complicado, como também a da Cabroeira, a outra cascata que fica na freguesia de São Julião. Esta eu não visitei, conto com o testemunho de Helena Pires.

Cascata de S. Julião
créditos: andarilho.pt

“É mais bonita, mas é um pouco mais difícil de se aceder, tem de se caminhar mais. Qualquer uma das duas tem bom acesso, só que a da Cabroeira demora-se um pouco mais. Faz mais poços de água e é mais fácil tomar banho na Cabroeira do que na de São Julião.”

Cascata de S. Julião
créditos: andarilho.pt

A freguesia de São Julião pertence ao concelho de Portalegre e está inserida no Parque Natural da Serra de São Mamede.

Cascata de S. Julião
créditos: andarilho.pt

Cascata de São Julião é uma das mais espetaculares no Alentejo faz parte do programa da Antena1 Vou Ali e Já Venho e a emissão deste episódio pode ouvir aqui.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.