O Pego da Rainha está escondido num vale profundo, de escarpas de granito e cheio de árvores. Situa-se próximo da aldeia de Zimbreira no concelho de Mação.

A cascata tem 3 a 4 metros de altura. A água surge entre as rochas, protegida pelas sombras de árvores altas. Ganha luz, força e sonoridade quando se despenha numa piscina natural.

Pego da Rainha
créditos: andarilho.pt

“É grande, espaçosa e silenciosa. Só se ouve o barulho da água e dos pássaros. A água é fria mas é belíssima. Para a altura do ano (verão) é excelente. A água está sempre a correr.” A descrição é de João Bagorro que acrescenta o recanto, antes da queda de água, com muitas árvores, “áreas com água mais pequenas, com sombra. Há também mesas para refeições e para se poder estar a descansar e aproveitar o dia.”

Pego da Rainha
créditos: andarilho.pt

Para sentir a força da cascata, tomar banho em dias de calor e ter uma perceção de conjunto, o melhor local é junto ao caminho de acesso. A primeira imagem torna-se definitiva na nossa memória. Um enquadramento absolutamente natural com o lago e a queda de água.

João Bagorro estava pela primeira vez no Pego da Rainha. “Sou de Portalegre, temos também algumas quedas de água que são conhecidas, mais pequenas, e na conversa entre amigos falaram-me desta aqui. Já que está tão perto há que aproveitar e desfrutar disto.”

Pego da Rainha
créditos: andarilho.pt

O grupo de João Bagorro ficou na parte de cima, nas sombras junto ao curso da ribeira da Zimbreira, antes da cascata.

Pego da Rainha
créditos: andarilho.pt

Outros visitantes preferem ficar junto da piscina natural onde há rochedos a fazer de praia para se estender a toalha.

Pego da Rainha
créditos: andarilho.pt

A piscina natural chega a ter dois metros de profundidade e depois a água corre calmamente pelo vale e, cerca de um quilómetro mais à frente, junta-se ao rio Ocreza.

Pego da Rainha
Rio Ocreza créditos: andarilho.pt

Podemos ver o grande rio do alto dos montes. A vista compensa o esforço, mas o mais interessante é acompanhar o voo de grifos que têm os ninhos nas enormes encostas escarpadas.

Pego da Rainha
créditos: andarilho.pt

Por vezes ficam relativamente próximos de nós, numa postura de vigia e defesa do lugar da rainha. “Quando chegámos estavam aqui três ou quatro. Possivelmente ainda havia mais alguns e frequentemente vemo-los voar por cima de nós. Tudo isto é aconselhável para se desfrutar a natureza que nos envolve.”

Pego da Rainha
Da piscina natural até um dos abrigos dos grifos créditos: andarilho.pt

Há um estradão que contorna alguns dos montes e um deles leva-nos a outro lugar interessante – a barragem da Pracana.

Pego da Rainha
Barragem da Pracana créditos: andarilho.pt

É um espelho de água grande, mas o mais interessante é a natureza envolvente. Há pequenas casas abandonadas, algumas associadas à atividade da barragem, mas quase tudo o que nos rodeia tem um ambiente selvagem. Quem gosta de caminhadas tem dois circuitos rupestres e no Museu de Arte Pré-histórica e do Sagrado no Vale do Tejo em Mação, encontra informação detalhada sobre o património que se pode ver.

Pego da Rainha
créditos: andarilho.pt

O nobre e belo Pego da Rainha faz parte do programa da Antena1 Vou Ali e Já Venho, e a emissão deste episódio pode ouvir aqui.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.