António Silveira Catana investigador e autor de várias obras sobre a Páscoa no concelho de Idanha-a-Nova traça uma diversidade de motivos para a preservação das práticas da Quaresma e da Páscoa no concelho de Idanha-a-Nova:

Páscoa em Idanha
créditos: andarilho.pt

“São tradições centenárias que tornam o concelho único no país dado o elevado número de manifestações que ainda existem na altura quaresmal e pascal e da qualidade das mesmas.”

Páscoa em Idanha
António Silveira Catana créditos: andarilho.pt

Na recolha e observação efetuada por António Silveira Catana há a convicção de que não são rituais “tipo museu” ou para atração turística. São vivências do povo, na sua simplicidade e que as mantém vivas. Há razões para que se mantenham mais no concelho de Idanha-a-Nova do que em outras regiões.

Páscoa em Idanha
Irmandade do Santíssimo Sacramento na igreja de Idanha-a-Nova créditos: andarilho.pt

Não só porque neste concelho há raízes templárias com oito castelos templários, como também porque existiram dois conventos franciscanos e igualmente pelo número ímpar de misericórdias que existem neste concelho. "11 misericórdias em que 9 ainda estão em plena atividade. E depois, a parte do povo.”

No decorrer da Quaresma e da Páscoa encontramos vários rituais, alguns até de noite e no alto das torres, como por exemplo a Encomendação das Almas.

Páscoa em Idanha
Encomendação das Almas em Idanha-a-Nova ©Alexandre Martins Gaspar créditos: andarilho.pt

É um dos muitos ritos executados por homens com batina e capuz e mulheres vestidas de escuro e com cânticos e preces transmitidos oralmente de geração em geração.

Páscoa em Idanha
Encomendação das Almas - @aleluiaemcasa créditos: andarilho.pt

São múltiplas as manifestações intrinsecamente religiosas e que foram adaptadas a contextos locais, designamente culturais e sócio-económicos. Sãoprocissões como a dos homens no Ladoeiro, o terço dos homens em S. Miguel de Acha, as ladainhas...

Páscoa em Idanha
Beijar da Santa Face em Proença-a-Velha ©Alexandre Martins Gaspar créditos: andarilho.pt

Há outras procissões, por exemplo, em Alcafozes as procissões corridas, dos passos... Há uma série de manifestações da piedade popular que ainda se mantêm vivas no nosso concelho e algumas delas, como na quinta-feira santa."

Páscoa em Idanha
Ceia dos Doze em Salvaterra do Extremo ©Alexandre Martins Gaspar créditos: andarilho.pt

Noutros lugares verifica-se como a forte influência das Misericórdias,  que há alguns séculos atrás foram-lhes conferida a organização dos rituais religiosos na Quaresma, estão na génese de alguns rituais. “É o caso da Ceia dos 12 que se repete em Segura, Alcafozes, Salvaterra do Extremo e Proença-a-Velha. É uma representação cénica como se fosse a Ceia de Cristo. Os irmãos mais antigos jantam e o Provedor representa Cristo.”

Páscoa em Idanha
créditos: andarilho.pt

Na sede do concelho um dos momentos mais conhecidos e participados é no Sábado de Aleluia. Centenas de pessoas juntam-se à noite na igreja e no largo em frente para apanharem as amêndoas que o padre vai mandar, mas, primeiro, vão apitar para a missa.

Páscoa em Idanha
créditos: andarilho.pt

“Habitualmente, são centenas de pessoas, algumas delas de outras localidades. Nesse sábado, às 9h da noite, aparece a Aleluia. Como na Quaresma se cumpriu a penitência e oração, no Sábado de Aleluia é a vez da alegria.”

Páscoa em Idanha
créditos: andarilho.pt

Esse sinal de contentamento é manifestado de uma forma muito singular. “Quando começa a missa os apitos começam a tocar. Toda a gente, novos e mais velhos, têm apitos”.

No largo da igreja estão também concentradas muitas pessoas a aguardar o final da missa e o regresso da Filarmónica que percorre as ruas de Idanha.

Páscoa em Idanha
créditos: andarilho.pt

A passagem é assinalada com música chocalhos e apitos. O ponto de encontro volta a ser o largo da igreja, com a missa terminada. O padre vai depois para a porta da sua casa e começa a enviar sacos de amêndoas para a multidão.

Páscoa em Idanha
créditos: andarilho.pt

Uma operação que decorre durante vários minutos e o padre, já com alguma idade, é ajudado por outras pessoas que conseguem mandar para longe os sacos das amêndoas. “São bastantes quilos de amêndoas que o pároco compra para lançar para as pessoas. Normalmente os pais mais jovens levam os filhos às cavalitas para ver se apanham as amêndoas.”

Páscoa em Idanha
créditos: andarilho.pt

Quando termina a festa das amêndoas, num largo abaixo, “a própria Junta de Freguesia distribui pão com chouriço. É uma evocação de uma prática antiga. Quando eu era rapaz era hábito irmos roubar as chouriças às nossas mães. Como não se podia comer carne nos dias anteriores, nós desforrávamo-nos e íamos para as tabernas e os cafés comer as chouriças. Agora, as pessoas pagam uma caneca para beberem vinho e podem comer pão com chouriço.”

Páscoa em Idanha
créditos: andarilho.pt

Pelo segundo ano consecutivo a “alegria” do Sábado de Aleluia não é assinalada com apitos nem amêndoas. Alguns dos rituais decorreram de forma restrita e outros tiveram difusão multimédia, por exemplo em Aleluia em Casa, onde encontra a programação de eventos que vão ter lugar até Domingo de Páscoa.

Páscoa em Idanha
créditos: andarilho.pt

Os assobios e as amêndoas na Páscoa de Idanha-a-Nova faz parte do programa da Antena1 Vou Ali e Já Venho e a emissão deste episódio pode ouvir aqui.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.