O promontório tem vista para um dos locais mais deslumbrantes e inóspitos da Península Ibérica, o deserto de Gorafe. O único sinal no horizonte da presença humana consiste num pequeno rectângulo com vidros espelhados, suspenso alguns centímetros acima do solo por um sistema sem fundações. É o Podtel, o primeiro hotel-cápsula totalmente autónomo, capaz de proporcionar uma curta estadia de luxo em qualquer local remoto do planeta.

À chegada, não há ninguém para abrir a porta. Os hóspedes precisam do telemóvel para aceder ao interior da cápsula, uma pequena habitação de 35 metros quadrados com ocupação máxima de 4 pessoas e espaço para quarto, cozinha/sala-de-estar e WC. O aspeto mais inovador: o alojamento não está ligado a qualquer infra-estrutura local, nem sequer ao saneamento básico. Usa painéis solares para gerar a sua própria eletricidade, um sistema avançado que capta água potável a partir da humidade do ar e uma sanita incineradora que trata do resto.

É a última novidade no sector do alojamento turístico, dirigida aos viajantes que procuram destinos remotos mas não abdicam dos confortos da vida moderna. Espreite o seu interior:

Já tem pontuação no Booking

O Podtel é um projeto-piloto da DistrictHive, uma empresa sediada em Portugal que "procura mudar a forma como entendemos as experiências do turismo de luxo de uma forma sustentável e ambientalmente amigável", explica em comunicado. Uma vez que o seu hotel-cápsula não usa fundações ou quaisquer outras ligações à terra, pode ser instalado (e removido) em qualquer local do planeta, "sem deixar vestígios no terreno", garante.

Apesar do seu ar ultra-futurista, não se trata de mais uma demonstração curiosa de tecnologia. O Podtel situado na província espanhola de Granada, o único para já operacional, aceita reservas desde o final de 2021, pelo seu site ou através das plataformas habituais, como o Booking e o Airbnb. O preço por noite começa nos 300€.

No Booking, encontrámos comentários por parte de quem já experimentou passar algumas noites alojado no meio do deserto de Gorafe, um local isolado no sul de Espanha com paisagens deslumbrantes, onde as noites podem ser especialmente frias e ventosas. Uma viajante que assina como María, de Espanha, destaca a "originalidade da experiência, o sítio e os sistemas da casa". Considera que as vistas ao amanhecer e ao entardecer tornam-na "perfeita para casais".

José, outro viajante espanhol, refere igualmente que "a experiência vale a pena", embora ressalve que o alojamento "precisa de janelas mais opacas". Mesmo no meio de um deserto, há preocupações com a privacidade.

A sanita incineradora

Quem também partilhou a sua experiência foi um casal espanhol de Youtubers que se filmou a reagir, entre o deslumbre e a surpresa, às diferentes inovações do interior da cápsula.

O momento mais curioso do vídeo de 15 minutos (apresentado no site oficial do alojamento remoto) surge no momento de espreitar o funcionamento do WC, com a sua sanita incineradora. Pode soar a algo saído do futuro, mas a tecnologia já é comercializada há algum tempo, a pensar naquelas situações onde não é possível, ou conveniente, criar uma ligação à rede de esgotos (locais de obras, eventos em locais isolados, etc).

A tecnologia é suficientemente recente, todavia, para ainda despertar curiosidade e, claro, algumas dúvidas sobre o seu funcionamento. Segundo o manual de instruções do fabricante (sim, fomos consultá-lo à internet), antes de cada utilização, é necessário colocar um invólucro no interior da sanita (semelhante a um filtro de café), que retém os resíduos sólidos e evita sujar a loiça sanitária (lembrem-se, não há autoclismo). No fim, basta baixar o tampo para ativar a incineração (as cinzas acumulam-se num tabuleiro que pode ser esvaziado mais tarde).

Não obstante a estranheza, essa é uma das tecnologias usadas no Podtel que lhe permitem auto-intitular-se como "100% autossuficiente".

O alojamento remoto tem ainda a curiosidade adicional de ser gerido com o auxílio de um sistema de inteligência artificial, que monitoriza e regula várias condições de habitabilidade, como a temperatura e a conservação de energia. Usando uma aplicação para telemóvel, os hóspedes podem ajustar outros aspetos relacionados com o conforto da casa e encomendar qualquer serviço ou produto de que precisem durante a estadia.

Que futuro para este alojamento futurista?

O plano da DistrictHive é instalar o Podtel em mais cantos isolados do mundo. "Neste momento, estamos à procura do segundo local. Não podemos adiantar mais, mas haverá grandes localizações no futuro em belos locais escondidos do planeta", conta a sua porta-voz ao SAPO Viagens. "E nunca haverá mais que um podtel em cada país", acrescenta.

Questionada sobre onde imaginam que um podtel poderia ser instalado em Portugal, a empresa portuguesa diz que, apesar de Portugal ter "locais lindíssimos", não existem, para já, "condições de adiantar mais sobre este assunto".

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.