O primeiro café de gatos surgiu em 1998 em Taipei, Taiwan. O "Cat Garden" rapidamente transformou-se numa atração turística.

O conceito viria a popularizar-se no Japão, que ganhou o seu primeiro "cat café" em 2004. O "Neko no Jikan" (É hora do gato) abriu em Osaka. Seguiu-se Tóquio, em 2005, e os cafés de gatos proliferaram no Japão, afirmando-se como uma tendência.

A falta de espaço nas cidades e o facto de grande parte da população viver em pequenos apartamentos fizeram com que estes espaços virassem um fenómeno nacional. Só em Tóquio existem mais de 50 "neko cafés" - neko significa gato em japonês.

Veja algumas fotos de cafés de gatos:

 

Índia, Singapura, Tailândia são outros destinos asiáticos onde encontra estes espaços. Esta febre felina também já chegou aos Estados Unidos, Canadá, México e Nova Zelândia.

Na Europa existem "cat cafés" espalhados por vários países: Áustria, Bélgica, República Checa, Dinamarca, Finlândia, França, Alemanha, Itália, Holanda, Rússia ou Inglaterra.

Em Portugal, abriu em Lisboa, em 2016, o "Aqui há gato", que fechou passado alguns meses. Já este ano abriu em Coimbra o Pet & Tea, o primeiro "cat café" de Coimbra e, neste momento, o único de Portugal.

Regra geral, quem frequenta estes espaços, paga um valor, que pode incluir uma bebida, para poder desfrutar de algum tempo com os gatos, sendo possível dar-lhes mimos, comida e brincar com os bichanos.

Os cafés de gatos seguem regras apertadas de higiene e segurança para garantir o bem-estar de humanos e felinos. Muitos dos "cat cafés" trabalham em conjunto com associações de adoção de animais.