Avistei a pequena e pitoresca cidade de Portree de longe. Apesar de o tempo estar um pouco nublado e escuro, consegui facilmente perceber as casinhas coloridas em volta do porto. A imagem era digna de um cartão postal.

Portree é considerada a capital de Skye. É uma das maiores cidades da ilha e uma boa base para explorar toda a Península de Trotternish. Possui, para além do bonito porto com as casinhas coloridas, hotéis e bons restaurantes, onde podemos comer frutos do mar fresquíssimos.

Portree
Portree créditos: Travellight

Para obter a melhor vista de Portree caminhem em direção ao hospital, percorram a trilha que atravessa a floresta e dirijam-se até a antiga torre de vigia. Disseram-me que num dia claro, consegue-se ver, a partir daqui o Old Man of Storr (uma interessante formação rochosa) e as Cuillin Hills (cordilheira de Cuillin). Eu não tive essa sorte.

De Portree segui de carro até Sligachan. Mesmo com o céu cheio de nuvens ameaçadoras, a vista para as montanhas, a partir da Ponte Velha de Sligachan era impressionante.

Paramos nas margens e fiquei a ouvir a água que corria sob os arcos de pedra. Ao fundo, a compor a paisagem, ficava a cordilheira de Cuillin. O cenário era tão lindo! Parecia poesia pura…

Ponte Velha de Sligachan
Ponte Velha de Sligachan créditos: Travellight

Há uma lenda que diz que as águas que correm pelas montanhas e passam por baixo da ponte Sligachan são encantadas e que se mantivermos o rosto na água por sete segundos completos, teremos conquistado a beleza eterna. Estive tentada a experimentar, mas a água estava fria de mais e acobardei-me (afinal as rugas também têm o seu charme).

A próxima paragem foi na vila de Dunvegan onde a maior atração é um Castelo que remonta ao século XIII. É o mais antigo castelo continuamente habitado da Escócia. Foi a sede dos chefes do Clã MacLeod por mais de 800 anos, e hoje está aberto a visitantes (mas atenção que no Inverno está encerrado).

Dunvegan
Castelo de Dunvegan créditos: Travellight

Em exibição no interior do castelo, há quartos mobilados, obras de arte e tesouros do clã MacLeod.

Perto do castelo existe uma colónia de focas que pode ser visitada de barco. Fiz o passeio e adorei ver estes fantásticos animais a mergulhar e a relaxar nas margens do lago em redor do castelo de Dunvegan.

Focas
Focas em Dunvegan créditos: Travellight

Em Dunvegan, existe um pequeno café chamado Jann’s Cakes, que também merece uma referência pelos seus deliciosos bolos.

Old Man Storr, cascatas, piscinas de fadas e Quiraing

Não consegui ver o Old Man Storr a partir da torre de Portree, mas tive oportunidade de o ver mais tarde durante o tour que fiz da ilha.

Essa formação rochosa, tem no seu topo um pilar alto que se destaca do resto - é a este que chamam “The Old Man” (o velho).

Old Man Storr
Old Man Storr créditos: Travellight

Existem várias lendas que tentam explicar esse pilar de pedra. Umas dizem que é o polegar de um gigante que ali foi enterrado. Outras dizem que é o um velhinho que costumava ir com frequência a Storr com a esposa para observar o oceano. Quando ela morreu, o velho caminhou até o Storr uma última vez e desejou poder ficar lá para sempre, porque este era o único lugar do mundo em que ele se lembrava de ver a sua esposa feliz. O Rei das Fadas ouviu o seu desejo e transformou-o em pedra.

Próximo do Old Storr, ao longo da estrada A855, fica outra atração popular — Bridalveil Fall (cascata véu de noiva). E mais à frente a cascata Lealt Falls.

Não se consegue ver esta cascata da estrada. É preciso estacionar o carro, passar por um portão de madeira e caminhar por uma trilha até Lealt Falls, que fica de frente para o mar. Do topo da falésia a vista é magnifica!

Cascata
créditos: Travellight

Também é impossível não mencionar o Kilt Rock - uma formação rochosa na costa da Ilha que lembra o plissado de um kilt (a tradicional saia dos escoceses) e a cascata Mealt Falls.

Outro lugar mágico são as Fairy Pools (piscinas das fadas), um lugar com lagoas rasas e pequenas quedas de água, formadas à medida que o rio Brittle flui das montanhas Black Cuillin.

Se decidirem vir até aqui, tenham em atenção que duas horas podem não ser suficientes para explorar este lugar. Primeiro, é preciso caminhar do estacionamento até ao início das piscinas (um pouco mais de 2 km) e depois seguir o rio em direção às montanhas para ver todas as piscinas e quedas de água.

Piscinas de fadas
Piscinas de fadas créditos: Travellight

Quando nos aproximamos do topo da Península de Trotternish, há uma estrada estreita que atravessa a península, chamada Quiraing Road que percorre algumas das melhores paisagens da Ilha de Skye. O Quiraing pode ser muito ventoso e húmido, mas é absolutamente deslumbrante. Vales profundos, penhascos escarpados e formações rochosas como o The Needle, o ou The Prison, fazem qualquer pessoa cair de amores por esta ilha.

Ilha de Skye
créditos: Travellight

Skye, como dizia um anúncio que li num cartaz turístico, é “um lugar onde o tempo não significa nada e, a cada passo, há 500 milhões de anos de história".

Uma das melhores maneiras de lá chegar é apanhando um comboio de Glasgow para Mallaig e depois um ferry até à Ilha. É longe, mas vale mesmo a pena visitar.

Sigam as minhas aventuras mais recentes no Instagram e no Facebook 

Artigo originalmente publicado no blogue The Travellight World

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.