A aclamada artista etíope Aida Muluneh criou a série fotográfica "Water Life", para chamar a atenção para a falta de acesso a água limpa, que tem um impacto particularmente devastador na vida de mulheres e jovens raparigas a nível global.

A série apresenta 12 peças impressionantes, encomendadas pela WaterAid com o apoio da Fundação H&M, e foi fotografada na paisagem extrema de um dos lugares mais quentes e secos do mundo, Dallol, Afar, no norte da Etiópia.

Globalmente, uma em cada dez pessoas não tem água limpa perto de casa e uma em cada quatro não tem uma casa de banho decente, situações que causam doenças como diarreia que reivindicam a vida de uma criança a cada dois minutos.

Na Etiópia, os números são reveladores, com quase seis em cada dez pessoas a serem negadas o acesso à água potável, apesar dos progressos significativos que o país fez nos últimos 20 anos.

A própria Aida, enquanto morava na Etiópia, encontrou fileiras de mulheres que viajavam a pé e carregavam cargas pesadas de água. As suas imagens expressam essas duras realidades diárias, que afetam não apenas o progresso das mulheres, mas também o futuro das suas comunidades.

Inspirando-se na ornamentação tradicional e na pintura corporal do continente africano, a artista, nascida na Etiópia, explorou não apenas questões de escassez de água e emergência ecológica, mas também o papel vital da arte e como África é representada na comunicação social a nível global.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.