Por Patrícia Campos, líder de viagens The Wanderlust

Quando visto a pele de viajante adoro ultrapassar os meus limites, aceito qualquer desafio, sem calcular bem os riscos. Viajo para viver e vivo para contar. Até hoje, sem percalços em viagem, as aventuras são provavelmente as melhores recordações das minhas viagens pela América Latina. Partilhar algumas destas experiências, é desafiar-te à aventura.

1. Montanha Colorida, Peru

A Montanha Winikunka, mais conhecida como Montanha Colorida, fica na cordilheira de Willkanuta, um dos pontos mais altos do sul do Peru. Este é um dos trekkings mais desafiantes.

Começamos a aventura em Cusco, onde nos encontramos a 3399 metros de altitude, seguindo viagem para a base da montanha. Depois de uma jornada de quase 3 horas de viagem chegamos acima dos 4000 metros para iniciar a caminhada. A ascensão até aos 5200 metros é de uma dureza extrema, no entanto todo o esforço é compensado pela paisagem até ao topo.

Montanha Colorida, Peru
Montanha Colorida, Peru créditos: Patrícia Campos

Ao longo do caminho vemos alguns lamas, assim como alguns peruanos que vivem em comunidades isoladas. Ao fim de 2-3 horas chegamos ao miradouro onde se observa um belíssimo tapete de cores naturais. Como é possível? As composições de diferentes minerais pintam as montanhas de toda a cordilheira.

2. Lago Titicaca

No Lago Titicaca, partilhado entre o Peru e Bolívia, encontram-se várias ilhas e comunidades que aqui se estabeleceram há vários séculos (antes mesmo do domínio do Império Inca) e que guardam até aos dias de hoje algumas das suas tradições e costumes ancestrais.

Lago Titicaca
Lago Titicaca créditos: Patrícia Campos

O mais desafiante na Ilha do Sol, lado boliviano, é ascender ao pico da ilha sem a ajuda de um burro. A casa do José é bem no alto da Ilha do Sol, depois do sacrifício a subir a ilha, ele nos recebe com o almoço na mesa e sobre a paisagem envolvente do Lago. É aqui que o tempo pára e onde vale a pena agradecer a viagem. O segundo desafio na Ilha do Sol é desligarmos os telemóveis e dedicarmos o tempo a apreciar as pequenas coisas da vida.

3. Estrada da Morte, Bolívia

A partir de La Paz, a mais alta cidade da América do Sul, é altura de arriscar a vida. Desafiamos a sorte numa aventura de bicicleta downhill. A aventura começa a 4700 metros, sobre as nuvens de La Cumbre. A estrada da morte é um caminho de terra com pedras soltas, com curvas fechadas, com quedas de água a cair sobre o caminho e desfiladeiros íngremes sem qualquer proteção. As centenas de cruzeiros ao longo do caminho não assustam os destemidos. Nem as histórias que os guias vão contando em cada paragem de descanso. Uma pequena queda no desfiladeiro é fatal.

A estrada faz jus ao seu nome? Bem, a estrada não é assim tão estreita e os guias são tão cuidadosos que as paragens vão sendo realizadas de maneira a controlar os perigos. Para além disso, vamos equipados da cabeça aos pés e a bicicleta tem travões afinados.

A aventura afasta os medos, a paisagem faz-nos arriscar. Das montanhas altas e nevadas a mais de 4000 metros de altitude até à selva tropical aos pés da Amazónia a 1700 metros. A descida íngreme torna-se uma excitação alegre no corpo. Terminámos o dia com um banho no rio sobre o sol quente e o ar abafado dos climas tropicais. A Bolívia é feita de contrastes, de perigos iminentes e lugares inóspitos. E isso cativa-me.

4. Exploração no Sul da Bolívia

Exploração no Sul da Bolívia
Exploração no Sul da Bolívia créditos: Patrícia Campos

Chegámos a Uyuni, o ponto de partida para a próxima aventura. A imersão pelo Sul da Bolívia é realizada numa expedição de Jeep 4x4, passando por alguns dos lugares mais inóspitos do mundo.

Sob o céu arqueado do altiplano boliviano, a mais de 3.600m de altitude, encontra-se o Salar de Uyuni, o maior deserto de sal do mundo. Um tapete branco, numa área de mais de 12.000 quilómetros quadrados. Na época seca, o céu brilha com tanta força que quase estala os hexágonos de sal; na época das chuvas, o deserto transforma-se num gigante espelho de água. É uma paisagem única! Percorremos quilómetros e quilómetros observando na linha do horizonte alguns jipes minúsculos, uma linha que parece não ter fim.

Salar de Uyuni
Salar de Uyuni créditos: Patrícia Campos

A paisagem transforma-se em cada abrir de montanhas. Avistam-se lagoas, vulcões, vicunhas, raposas e milhares de flamingos. A Lagoa Colorada é uma lagoa rosada, localizada na grande área protegida da Reserva Florestal de Fauna Andina Eduardo Avaroa, com 7150 km² de extensão. Uma das áreas de maior biodiversidade do mundo. Noutro ponto, avistam-se os géisers de Sol da la Mañana. As fumarolas alcançam uma altura acima dos 10 metros e estão a altas temperaturas, levando a imaginação para o centro da terra. E ainda há tempo de relaxar nas águas termais de Polques sobre um céu estrelado.

Já realizaste alguma expedição? Esta é, sem dúvida, a aventura mais bela pela Bolívia.

5. Deserto de Atacama, Chile

Chegamos ao norte do Chile e São Pedro de Atacama é o epicentro do mais seco, vasto e misterioso deserto de Atacama. Numa região tão distante de tudo, encontramos um dos céus mais bonitos do mundo. Mas ainda há tempo para algumas aventuras e descobertas em lugares remotos. Explorar o deserto em bicicleta pelos vales da Lua e da Morte, flutuar nas águas salinas de algumas lagoas escondidas, escalar um vulcão, descobrir o vale arco-íris, comunidades locais, ou simplesmente desvendar as constelações andinas ou ainda relaxar nas águas termais de Puritama.

Deserto de Atacama, Chile
Deserto de Atacama, Chile créditos: Patrícia Campos

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.