Todos os anos, nos dias 2 e 3 de fevereiro, a Vila Velha, onde se situa a Capela de São Brás - classificada como Monumento Nacional desde 1910 - é o palco de uma festividade com características tão peculiares que fazem destes dias uma verdadeira atração turística. O espaço recebe barraquinhas onde se podem comprar as “Ganchas”, um doce tradicional que consiste num rebuçado em forma de báculo.

Há quem afirme que a Gancha seria um "instrumento" usado para retirar objectos estranhos que pudessem estar alojados na garganta, ao mesmo tempo que teria um efeito calmante sobre a irritação e inflamação da mesma. Outra versão é a de que a Gancha simboliza o báculo bispal de São Brás, tido como padroeiro das doenças da garganta.

Manda a tradição que, depois de receberem o Pito - um doce recheado de abóbora - oferecido pelas raparigas no dia de Santa Luzia, os rapazes retribuam, oferecendo a Gancha no dia de São Brás.

Em 2020 repete-se a romaria ao São Brás, com o dia 2 de fevereiro animado pelas atuações de Grupos de Bombos - "Os Trovadores da Raia" e "As Águias da Lage" - do Grupo de Cantares do Rancho Etnográfico e Folclórico de Borbela e do Grupo de Cantares ALÉU.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.