Para proteger o monumento do excesso de turistas, a solução encontrada foi aumentar os preços dos bilhetes - de 50 rupias (60 cêntimos) para 250 rupias (3,10 euros) para cidadãos indianos, enquanto os visitantes estrangeiros, que pagavam de 14 euros de entrada, vão pagar agora cerca de 17 euros.

Esta medida ocorre apenas alguns meses depois das autoridades indianas terem limitado o número de turistas para 40 mil por dia. Anteriormente, até 70 mil pessoas visitavam o Taj Mahal diariamente, principalmente aos fins de semana.

O famoso monumento Património Mundial da UNESCO, foi concluído em 1648 e é uma das atrações mais populares do mundo, mas está a sentir os efeitos do excesso de turismo. Os andares estão desgastados devido aos turistas e o exterior foi danificado pelo efeito da poluição e dos insetos. Além disso, o local está rodeado por macacos que constantemente sobem pela fachada. No início do ano, o Supremo Tribunal da Índia emitiu um ultimato: restaurar o monumento ou encerrá-lo.

A nova estrutura de preços ajudará a gerar mais receita para alimentar os esforços de conservação e restauração. Segundo a ASI - Archaeological Survey of India- espera-se que a mudança reduza os visitantes em 15 a 20%.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.