Desde o início dos confinamentos realizados devido à pandemia, a empresa de armazenamento de bagagens de curto prazo LuggageHero tem sondado regularmente os viajantes na Europa, nos Estados Unidos e no resto do mundo.

A empresa revela agora as conclusões do seu mais recente inquérito, realizado de 20 a 26 de outubro de 2020, referente às intenções de viagem ainda durante o inverno.

As resoluções de Ano Novo não puderam ser realizadas

Embora os europeus tenham desejado muitas viagens quando este ano começou, as restrições e as preocupações de saúde limitaram muitos desses desejos. Enquanto apenas 11% dos participantes europeus no inquérito deste mês não tinha planeado uma viagem para 2020, quase três vezes mais (31%) acabou por ficar em casa durante os primeiros 10 meses do ano.

Em relação aos que viajaram, 38% dos inquiridos fez pelo menos uma viagem dentro do país até ao momento, três vezes mais do que tinham planeado antes da pandemia da COVID-19.

Para além da distância, os tipos de férias também mudaram durante o ano de 2020, reduzindo os city breaks para 37% das escolhas dos europeus, um decréscimo acentuado em relação aos 77% que esperavam realizar um city break quando as restrições em termos sanitários e de viagens não se afiguravam como pontos-chave no planeamento.

As viagens para áreas de natureza não absorveram grande parte da perda de viagens na cidade, uma vez que as viagens ao ar livre aumentaram apenas 5% em comparação com os planos iniciais.

O que se segue?

À medida que o tempo passa, os europeus estão a habituar-se a esta nova e mais cautelosa forma de viajar e sentem-se entusiasmados com os meses que se avizinham.

Mais de metade dos participantes europeus (53%) está a planear as suas férias de inverno, esperando que as futuras vagas de infeções previstas sejam controladas e que uma vacina possa ficar brevemente disponível.

É também verdade que quase um terço destes viajantes (30%) ficará mais próximo de casa, considerando apenas mover-se dentro dos seus países.

Como serão as viagens nos próximos meses?

Os alojamentos de curto prazo ainda são preferidos aos hotéis, dado os viajantes sentirem que o alojamento independente lhes permite praticar uma higiene adequada e uma gestão de risco no que diz respeito a infeção por COVID-19.

Apenas 14% dos inquiridos europeus considera que os hotéis são uma melhor opção, enquanto 41% não utilizará alojamento externo durante as férias de inverno.

Em termos financeiros, o orçamento para viagens em 2020 foi severamente afetado pela pandemia, com apenas 36% dos montantes monetários para viagens intocados.

Os grandes cortes ainda se encontram a acontecer, já que 40% dos participantes da Europa declararam ter reduzido as suas despesas de viagem para este ano em mais de 40% quando comparadas com o inicialmente planeado.

Essa queda representa o maior impacto financeiro desde que a LuggageHero começou a sondagem sobre este assunto em março.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.