A fundação que dirige o edifício havia decidido proibir o acesso das mulheres no santuário da mesquita Haji Ali Dargah em 2011, ao considerar que a proximidade das mulheres no túmulo de um santo era um "pecado grave" no Islão.

São vários os sítios religiosos na Índia que proíbem tradicionalmente o acesos das mulheres aos espaços mais sagrados de templos e mausoléus, restrições que provocam campanhas contrárias.

A justiça posicionou-se contra a proibição, com o argumento de que violava o princípio constitucional do direito à igualdade. Isso obrigou a fundação a recorrer ao Supremo Tribunal indiano.

Haji Ali Dargah
Mesquita Haji Ali Dargah créditos: AFP

Esta segunda-feira, no entanto, a fundação comunicou à mais alta instância judicial do país que vai voltar a aceitar mulheres, mas pediu algumas semanas para poder instalar uma entrada paralela que será reservada ao público feminino.

A mesquita Haji Ali Dargah, construída no século XV, é uma das mais simbólicas de Mumbai e atrai milhares de visitantes todas as semanas.

Um grupo de defesa dos direitos das mulheres muçulmanas celebrou "a vitória para os direitos das mulheres".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.