Há fado que chega à rua, ainda antes de entrar. Depois de descer umas escadas, misturam-se os idiomas e os produtos nacionais. Do azeite, passando pelos enchidos, e o bacalhau, ouve-se português, mas também espanhol e alemão.

Atrás de uma mesa, Sónia e Manuela vão falando com quem por ali passa, e vendendo rissóis, croquetes e outros produtos de fabrico próprio.

“É verdade que não é uma comunidade portuguesa tão unida como noutros países, mas com a ajuda do mercadinho vamo-nos juntando e convivendo”, revela à lusa Sónia Fernandes, a viver há uma década na capital austríaca.

Foi precisamente para alcançar os emigrantes que, apesar de serem portugueses, não procuram uma ligação emocional tão forte ao país que César Valentim criou, em 2018, o “Mercadinho de Portugal”.

“A comunidade não tem os números nem as características que promovam a abertura de lojas ou supermercados portugueses em Viena, no entanto há imensa gente que gostaria de, ocasionalmente, poder comprar um vinho, um azeite, o bacalhau e os enchidos, até ou uma guloseima para levar para o trabalho e partilhar com os colegas”, partilhou com a Lusa o presidente da Sociedade Austro-Portuguesa.

Falou com todos os importadores de produtos portugueses, que trabalham principalmente com os restaurantes, com o objetivo de realizar uma feira mensal onde se possam conhecer e adquirir produtos portugueses.

A Sociedade Austro-Portuguesa oferece o espaço e consegue assim recrutar novos associados e proporcionar um serviço à comunidade.

“Antes da pandemia, o nosso barzinho disponibilizava pequenos-almoços e era um local onde muitos portugueses se conheceram e onde muitas amizades nasceram. Brevemente poderemos voltar a ter atividades, que com sete décadas de história, segue com motivação para crescer”, acrescentou César Valentim.

O austríaco Thomas Blasl faz importação de produtos portugueses há cerca de 25 anos. Vai atendendo os clientes na caixa, fazendo as contas em vários idiomas. Casado com uma portuguesa que conheceu na Suíça, não se imagina a fazer outra coisa.

“Comecei a fornecer os restaurantes de Viena e de outras partes da Áustria com todos os produtos portugueses, também vinhos, cervejas, água (…) o mercadinho é uma excelente oportunidade para as pessoas poderem encontrar esses produtos que não são de fácil acesso aqui em Viena”, explicou.

De acordo com os números oficias, em 2021 eram 3.105 as pessoas nascidas em Portugal residentes na Áustria.

César Valentim acredita que as famílias portuguesas residentes em Viena são cerca de uma centena.

“Estes números diferem dos valores de pessoas registadas na secção consular em Viena por diversas razões: as pessoas normalmente só se inscrevem na secção consular se necessitam de algum documento. Há imensas pessoas que não nasceram em Portugal, mas têm nacionalidade portuguesa”, acrescentou.

O presidente da Sociedade Austro-Portuguesa acredita que tem havido um crescimento constante de emigração portuguesa para Viena na última década, especialmente de pessoas com estudos universitários ou mão-de-obra altamente qualificada.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.