Em comunicado na sua página oficial, aquela autarquia do distrito de Braga refere hoje que a candidatura da Geira a Património da Humanidade pretende "classificar, promover e valorizar a Via Romana (Geira), pois apresenta-se como um recurso cultural de inestimável valor, devido à sua extensão no concelho".

A Via XVII do Itinerário de Antonino, que ligava Bracara Augusta (Braga) a Asturica Augusta, em Astorga, em Espanha, ao longo de 240 milhas romanas, tem cerca de 318 quilómetros e é, segundo informação que consta na referida candidatura, "uma das estradas romanas melhor conservadas e mais investigadas do noroeste da Península Ibérica, encontrando-se a secção portuguesa, na qual se inclui o troço no território do concelho de Terras de Bouro, entre as milhas XIV e XXXIV".

Em declarações à Lusa, o presidente da Câmara de Terras de Bouro, Manuel Tibo, referiu que a classificação da Geira como património mundial é "um grande passo para garantir a conservação" daquele bem e "uma forma de colocar Terras de Bouro numa rota cultural única".

Classificado em 2012 como Monumento Nacional pela Direção-Geral do Património Cultural, aquele troço português da via romana, que atravessa o Parque Nacional da Peneda-Gerês, tem 140 marcos miliários inventariados, dos quais 102 se conservam ‘in loco', "a maioria deles com epígrafes que dão testemunho das políticas regionais promovidas pelo Império Romano".

Os marcos miliários eram colocados nas vias romanas com intervalos de cerca de 1.480 metros, têm inscrito o número da milha da via e a distância até ao fórum romano e permitem "de forma consensual" apontar o ano 80 D.C como data da conclusão daquele caminho.

A Via Romana cruza a cadeia montanhosa da Galiza meridional, atravessando as bacias dos rios Cávado, Homem, Lima, Navia e Sil, passando por Las Médulas, "um dos locais de mineração de ouro mais importantes do Império Romano no ocidente", e é tida com tendo sido "essencial para reforçar o triângulo das cidades augustas do noroeste Ibérico (Bracara, Lucus [Lugo, na Galiza] e Asturica).

O sucesso desta via, enquanto infraestrutura de comunicação e com "grande importância estratégica", prevaleceu ao longo dos séculos e, nos últimos anos, a Geira tem vindo a ser considerada também como via de peregrinação a Santiago de Compostela.

"A classificação pela UNESCO vai também permitir delinear uma zona de proteção, com regras próprias, de forma a assegurar a salvaguarda e proteção da área envolvente da Geira, sendo para isso implementado um plano diretor específico", realça a candidatura.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.