O tambor de giz, que apesar do nome não tem finalidade musical, data da época do monumento pré-histórico Stonehenge e poderá ser visto na exposição sobre o período neolítico que será inaugurada no dia 17 de fevereiro no museu localizado em Londres.

"Esta é uma descoberta verdadeiramente extraordinária, a peça de arte pré-histórica mais importante encontrada na Grã-Bretanha nos últimos 100 anos", afirmou Neil Wilkin, o curador da exposição.

Segundo o museu, o tambor é "um dos artefactos mais elaborados deste período que foram encontrados na Grã-Bretanha e na Irlanda". O seu estilo lembra os objetos de Stonehenge.

O cilindro decorado foi encontrado nas sepulturas de três crianças, cujas mãos se tocavam. Foi colocado logo acima da cabeça do mais velho, junto com uma bola de giz e uma agulha de osso polido.

A descoberta ocorreu a cerca de 384 quilómetros de Stonehenge, perto da vila de Burton Agnes, no norte da Inglaterra.

Uma bola e agulhas parecidas foram encontradas em Stonehenge e arredores, o que sugere que os povos da Grã-Bretanha e da Irlanda compartilhavam "estilos artísticos e provavelmente crenças a distâncias consideráveis", disse o Museu Britânico.

A coleção do museu inclui três tambores semelhantes encontrados em 1889 em uma sepultura infantil a cerca de 24 quilómetros do local do último achado.

Os três artefactos, conhecidos como tambores de Folkton, estão entre "os objetos antigos mais famosos e enigmáticos já encontrados em escavações na Grã-Bretanha", apontou o museu.

Eles foram produzidos na mesma época da primeira fase da construção de Stonehenge, entre 3005 e 2890 a.C.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.