"É composto por objetos de ouro, incluindo um medalhão do tamanho de um pires. Há muitos símbolos, alguns dos quais desconhecidos. Isto vai ajudar-nos a ampliar o nosso conhecimento sobre os homens daquela época", explicou à AFP Mads Ravn, diretor de investigação do museu de Vejle (oeste), que vai expor as peças.

O tesouro, que pesa pouco menos de um quilo, foi descoberto perto da cidade de Jelling, considerada pelos historiadores o berço dos reis da era Viking, entre os séculos VIII e XII.

A descoberta deste arqueólogo amador ocorreu há cerca de seis meses e mantida em segredo até à data.

Alguns objetos têm motivos rúnicos e inscrições que podem referir-se a soberanos da época, mas também fazem lembrar a mitologia nórdica.

Uma peça representa o imperador romano Constantino, do início do século IV.

"É o simbolismo representado nestes objetos que os torna únicos, e não a quantidade descoberta", disse Ravn.

De acordo com as primeiras análises, o tesouro poderia ter consistido numa oferenda aos deuses feita por um nobre local numa época em que o clima do norte da Europa havia sido agravado por uma erupção vulcânica na Islândia em 536 que cobriu o céu de cinzas.

O tesouro será exposto no museu de Vejle a partir de fevereiro.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.